Guiné-Bissau

Falta de aplicação do Acordo de Conacri preocupa comunidade internacional

Parceiros da Guiné-Bissau reuniram-se com Presidente José Mário Vaz para manifestar preocupação face à ausência de progressos no cumprimento do Acordo de Conacri.

Guinea-Bissau José Mário Vaz trifft P5 (DW/B. Darame)

Presidente da Guiné-Bissau José Mário Vaz no encontro com os principais parceiros internacionais da Guiné-Bissau

As cinco principais organizações internacionais parceiras da Guiné-Bissau (ONU, União Africana, Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e União Europeia) estão preocupadas com o silencio do Presidente guineense, José Mário Vaz, após a posição do Conselho de Segurança, que recomenda ao chefe de Estado guineense a nomeação de um novo primeiro-ministro, cumprindo com o Acordo de Conacri, que visa acabar com a crise vigente no país.

José Mário Vaz não reagiu até agora aos apelos internacionais que vão no sentido de promover diálogos com os cinco partidos representados no Parlamento para a formação de um novo executivo de consenso.

Ovídio Pequeno, representante da União Africana na Guiné-Bissau foi o porta-voz do grupo da comunidade internacional, designada por P5, que se reuniu com o chefe de Estado guineense para lhe transmitir essa preocupação.

Ovidio Pequeno (Braima Darame)

Ovídio Pequeno

"P5 pediu audiência com o Presidente para manifestar a sua preocupação pela ausência de progresso com vista a implementação do Acordo de Conacri, uma vez que neste quadro tinha sido dado um espaço de tempo, de 30 dias, para a solução da crise", disse Ovídeo Pequeno.

Tanto a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), organização sub-regional, bem com o Conselho de Segurança da ONU, anunciaram o dia 25 de maio como a data limite para que o Presidente guineense cumpra com o Acordo de Conacri.

Após a reunião desta quarta-feira (17.05.) com José Mário Vaz, a comunidade internacional espera que seja relançado o novo processo de diálogo com os atores políticos na busca de uma solução para a nomeação de um novo primeiro-ministro, disse Ovídio Pequeno.

"Nós viemos, outra vez, dizer ao Presidente da República, na qualidade do garante da Constituiçao, que tem a tarefa maior de tentar encontarar uma soluçao através de dialogo, inclusive com o PAIGC".

PAIGC reune-se com o "grupo dos 15"

O encontro do Presidente guineense com a comunidade internacional decorreu no Palácio da Republica a escassos cinco metros da sede do PAIGC onde também tinha lugar uma reunião entre a direção do partido e o antigo primeiro-ministro, Baciro Djá, um dos 15 deputados expulsos do partido quando se alinhou com o Presidente José Mário Vaz no inicio da crise.

Ouvir o áudio 03:33

Falta de aplicação do Acordo de Conacri preocupa comunidade internacional em Bissau

Baciro Djá, atualmente de costas voltadas com o regime no poder, chegou a ser nomeado por duas vezes primeiro-ministro pelo Presidente guineense.

Aos jornalistas, Djá deu a entender que a sua reintegração está num bom caminho e agradeceu a direção do partido pela iniciativa de perdão e diálogo:

"Discutimos a implementaçao do Acordo de Conacri. Sou militante do PAIGC, estou disponivel a voltar ao PAIGC. Está em causa a reconciliaçao da familia do partido, portanto, devo felicitar de coração a direçao do PAIGC pela iniciativa".Por seu lado, o secretário nacional do PAIGC, Ali Hijazy enalteceu os progressos alcançados no processo de reintegração de Baciro Djá e lamentou o facto do resto do grupo dos quinze deputados terem condicionado a participação na reunião de negociação mediante a presença de outros militantes expulsos mas que não são deputados. Aly recorda que o Acordo de Conacri prevê apenas a reintegração dos militantes expulsos que são deputados.

Guinea-Bissau Ministerpräsident Baciro Dja (picture-alliance/dpa/L. Fonseca)

Baciro Djá

"Condicionaram a paraticipação deles à presença de Luis Oliveira Sanca ( nao é deputado) na reunião e que o encontro não seria na sede do PAIGC. Entendemos com os 15 que não estão a repeitar o ponto 10 do Acordo de Conacri que prevê a reitengraçao apenas dos deputados expulsos. O PAIGC nao vai ceder até este ponto".

Quando faltam oito dias para o termo do ultimato lançado pela comunidade internacional e perante a inércia do Presidente guineense, José Mário Vaz convocou um comício popular em Bissau, para esta quinta-feira à tarde, pelas 16h00, para fechar a sua primeira presidência aberta que o conduziu a todas as regiões da Guiné-Bissau.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados

Albanian Shqip

Amharic አማርኛ

Arabic العربية

Bengali বাংলা

Bosnian B/H/S

Bulgarian Български

Chinese (Simplified) 简

Chinese (Traditional) 繁

Croatian Hrvatski

Dari دری

English English

French Français

German Deutsch

Greek Ελληνικά

Hausa Hausa

Hindi हिन्दी

Indonesian Bahasa Indonesia

Kiswahili Kiswahili

Macedonian Македонски

Pashto پښتو

Persian فارسی

Polish Polski

Portuguese Português para África

Portuguese Português do Brasil

Romanian Română

Russian Русский

Serbian Српски/Srpski

Spanish Español

Turkish Türkçe

Ukrainian Українська

Urdu اردو