NOTÍCIAS

Kazuo Ishiguro ganha Prémio Nobel da Literatura

A Academia Sueca distingiu com o Nobel o autor britânico de êxitos internacionais como "Os Despojos do Dia" e "Nunca me Deixes."

default

"Uma honra magnífica", foi como reagiu o escritor britânico Kazuo Ishiguro ao Prémio Nobel da Literatura, que lhe foi discernido hoje na capital sueca, Estocolmo. Sobretudo, disse à jornalista que lhe deu a notícia inesperada "porque significa que estou a seguir os passos dos grandes autores que existiram, e isso é um elogio espetacular".

Nascido no Japão em 1954, de onde emigrou com os pais para a Grã-Btretanha aos cinco anos, a experiência da transição de uma cultura para outra deixou marcas profundas na obra deste escritor. Os seus livros abordam repetidamente questões de identidade e memória e como ambas mudam conforme as circunstâncias. Ishiguro domina de forma rara uma escrita séria e profunda simultaneamente apelativa para o leitor geral. A obra "Os despojos do dia" em 1989, que ganhou prémios de prestígio, foi o seu primeiro grande sucesso. Mais tarde alcançou um um vasto público internacional graças à adaptação da história da relação entre um mordomo e o seu patrão para o cinema.

Filmstill von The Remains of the Day, 1993

Anthony Hopkins e Emma Thompson protagonizaram a versão cinemática de "Despojos do Dia"

Cinema e literatura

Ao apresentar o vencedor da edição de 2017, Sara Danius da Academia Real Sueca disse que Kazuo Ishiguro "ganhou por uma razão muito simples: é um escritor fora de série e de grande integridade. Desde o início encontrou a sua voz. O seu estilo é preciso, muito sensível e até bastante delicado."

Segundo a instituição sueca, a escrita de Ishiguro é marcada por uma grande sensibilidade e cuidadosa contenção. Também o romance distópico "Nunca me Deixes", no qual introduziu subjacentemente a ficção científica no seu trabalho, foi adaptada com êxito ao cinema. A revista Time considerou esta uma das cem melhores obras de língua inglesa publicadas desde 1923.

Prémio consensual

Ouvir o áudio 03:00

Kazuo Ishiguro ganha Prémio Nobel da Literatura

Apesar do inglês não ser a sua língua materna, Ishiguro é tido como um dos melhores estilistas da sua geração. Não obstante, a sua vitória hoje surpreendeu os mundos literário e das apostas, que não o tinham em conta na lista dos favoritos. Mas Sara Danius da Academia Sueca defende a sua universalidade que o coloca entre os maiores autores europeus:  "É um escritor muito interessante por várias razões. Se juntar a análise social e psicológica de Jane Austen a Kafka, o resultado é Ishiguro"

A escolha de Kazuo Ishiguro deverá reunir o consenso de críticos literários e leitores, ao contrário do que se passou no ano passado, quando a Academia deu o prémio ao cantor americano Bob Dylan, suscitando acesa controvérsia. Com a entrega do prémio a Ishiguro fica reforçada a dominância do inglês nos nóbeis da literatura: 24 autores anglófonos contra 14 francófonos, os segundo situados. José Saramago foi o único escritor de língua portuguesa galardoado com o Nobel.

Assistir ao vídeo 02:37

Sylt, ilha inspiradora para um escritor nigeriano

Áudios e vídeos relacionados

Albanian Shqip

Amharic አማርኛ

Arabic العربية

Bengali বাংলা

Bosnian B/H/S

Bulgarian Български

Chinese (Simplified) 简

Chinese (Traditional) 繁

Croatian Hrvatski

Dari دری

English English

French Français

German Deutsch

Greek Ελληνικά

Hausa Hausa

Hindi हिन्दी

Indonesian Bahasa Indonesia

Kiswahili Kiswahili

Macedonian Македонски

Pashto پښتو

Persian فارسی

Polish Polski

Portuguese Português para África

Portuguese Português do Brasil

Romanian Română

Russian Русский

Serbian Српски/Srpski

Spanish Español

Turkish Türkçe

Ukrainian Українська

Urdu اردو