História

1975: Lula, o sindicalista

Em 1975, Lula foi eleito presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Diadema, duas cidades da zona do "ABC paulista" nos arredores de São Paulo, maior cidade da América do Sul. Lula ganhou projeção nacional como líder de uma série de greves no final da década. Em 1980, foi preso e processado com base na Lei de Segurança Nacional após uma paralisação que durou 41 dias.

História

1980: Fundador do Partido dos Trabalhadores

A 10 de fevereiro de 1980, Lula fundou o Partido dos Trabalhadores (PT) com apoio de inteletuais e sindicalistas. Em maio do mesmo ano, ao sair da prisão, foi eleito o primeiro presidente do partido. Mais tarde, o PT tornou-se o partido mais influente do Brasil. Em 1982, Lula concorreu sem sucesso ao cargo de governador do estado de São Paulo. Porém, em 1986, foi eleito deputado federal.

História

1989: Primeira campanha presidencial

O PT lançou a candidatura de Lula nas primeiras eleições presidenciais diretas do Brasil após o fim do regime militar. Com uma imagem de operário e um discurso de esquerda, Lula provocou temor em muitos setores da economia, que se alinharam com o candidato da direita, Fernando Collor de Mello. Lula foi derrotado no segundo turno, depois de acusações de manipulação da imprensa em favor de Collor.

História

1994: Segunda campanha presidencial

Após denúncias de irregularidades, Lula lançou, em 1991, o movimento "Fora Collor". Um ano mais tarde, Collor foi deposto pelo Congresso como Presidente e Itamar Franco assumiu o cargo. Em 1994, Lula concorreu novamente à Presidência, mas foi derrotado na primeira volta por Fernando Henrique Cardoso, que como ministro das Finanças tinha conseguido diminuir a inflação através do "Plano Real".

História

1998: Terceira campanha presidencial

Em 1998, Lula sofreu uma das suas piores derrotas eleitorais. O petista teve como candidato a vice-Presidente Leonel Brizola, do partido PDT, um dos seus rivais na eleição de 1989, com quem disputava a hegemonia na esquerda brasileira. A fórmula não deu certo. Lula obteve só 31% dos votos; nem sequer chegou à segunda volta. O então Presidente Fernando Henrique Cardoso do PSDB foi reeleito com 53%.

História

2002: Quarta campanha presidencial

O eterno candidato assumiu finalmente a Presidência após uma vitória nas eleições de 2002. Lula foi eleito com 61% dos votos na segunda volta e assumiu o poder em janeiro de 2003. Na campanha, o PT conseguiu vender uma imagem mais moderada do petista – simbolizada no slogan "Lulinha, paz e amor" – com o objetivo de acalmar os mercados financeiros e ampliar o eleitorado do partido.

História

2005: O escândalo do mensalão

Em 2005, o Governo Lula foi atingido em cheio pelo escândalo de compra de votos de deputados, o "mensalão". Mesmo assim, Lula sobreviveu à crise. Outros, como o ministro José Dirceu, uma das figuras fortes do seu Governo, caíram em desgraça. No início, Lula afirmou que assessores o haviam "apunhalado", mas depois mudou o discurso e disse que o caso era uma invenção da oposição e da imprensa.

História

2006: Quinta campanha presidencial

Em 2006, Luiz Inácio Lula da Silva é reeleito na segunda volta com mais de 60% dos votos válidos e venceu contra Geraldo Alckmin do PSDB. Apesar do "mensalão", chave para a vitória foram os programas sociais como a "Bolsa Família", que garantiu um rendimento mínimo a brasileiros pobres. Quase 28 milhões de brasileiros saíram da pobreza nos oito anos do Governo Lula, segundo um balanço de 2010.

História

2006: Grande popularidade no nordeste

Nas eleições de 2006, Lula ganhou principalmente graças aos votos no nordeste do Brasil, uma das zonas mais pobres do país. Como filho de uma família do Estado de Pernambuco, ele representou o sonho de muitos nordestinos de ascensão social. Por exemplo, Lula conseguiu 78% dos votos em Pernambuco, mas não teve maioria no estado de São Paulo com apenas 48% dos votos na segunda volta.

História

2010: Economia em alta

Após as turbulências no final do Governo Fernando Henrique Cardoso, a economia brasileira voltou a crescer com Lula, sobretudo graças ao boom de recursos naturais como o ferro e a soja. Foi o período da descoberta de mais petróleo offshore no chamado "Pré-Sal" e investimentos em grandes obras de infraestrutura. O crescimento médio do PIB no segundo mandato chegou a 4,6%.

História

2010: Dilma Rousseff é a sucessora

Logo após ser reeleito, Lula começou a preparar a sua sucessão, pois, segundo a Constituição, não há mais de dois mandatos consecutivos. Como sucessora escolheu a sua então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, uma tecnocrata sem experiência nas urnas. Nos três anos seguintes, Lula promoveu a imagem de Dilma junto dos brasileiros. A estratégia funcionou e ela foi eleita em 2010.

História

2011: Luta contra o cancro

Em outubro de 2011, Lula foi diagnosticado com cancro na laringe, sendo submetido a um tratamento. Pela primeira vez desde 1979, apareceu sem barba. Exames apontaram a remoção completa do tumor cerca de cinco meses depois, e Lula voltou a participar nas campanhas do PT. Uma das grandes vitórias eleitorais de 2012 foi a de Fernando Haddad na Prefeitura de São Paulo.

História

2016: Lula e a Operação Lava Jato

Em março de 2016, Lula foi alvo de um "mandado de condução coercitiva" pela Operação Lava Jato, que investiga o escândalo de corrupção na Petrobras, companhia estatal de petróleo. O ex-Presidente foi levado para depor sobre um imóvel em Atibaia, um triplex no Guarujá e a sua relação com empreiteiras investigadas na Lava Jato. A Polícia Federal procurou provas na sua residência e no seu instituto.

História

2016: Réu em diferentes processos

Nos meses seguintes, Lula foi denunciado por uma série de crimes, como corrupção passiva, lavagem de dinheiro, obstrução da Justiça e tráfico de influência, tornando-se réu em cinco processos diferentes. O petista desmentiu sempre as acusações, negou a prática de crimes e disse ser vítima de perseguição política. Lula também nega ser proprietário dos imóveis que foram investigados.

História

2016: Impeachment de Dilma Rousseff

Em outubro de 2014, Dilma Rousseff conseguiu ser reeleita. Mas em maio de 2016, foi afastada do cargo devido a um processo de impeachment movido contra ela a seguir à Operação Lava Jato. Dilma teve o seu mandato definitivamente cassado em agosto de 2016. O vice Michel Temer, do partido PMDB, assumiu a Presidência e governou com ministros de direita.

História

2017: Depoimento como réu

Em maio de 2017, o ex-Presidente apresentou-se pela primeira vez como réu perante o juiz Sérgio Moro. Num depoimento prestado em Curitiba, Lula voltou a negar as acusações e alegou estar a ser perseguido politicamente. Exigiu ainda a apresentação de provas de que seja dono dos imóveis em Guarujá e Atibaia. O interrogatório foi o último passo antes da sentença dentro da Operação Lava Jato.

História

2017: Lula é condenado

Lula foi condenado pela primeira vez em 12 de julho de 2017. A sentença do juiz Sérgio Moro determinou 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Foi a primeira vez que um ex-Presidente foi condenado por corrupção no Brasil. Lula apresentou recurso e viu a sua sentença confirmada e agravada para 12 anos de prisão na segunda instância, em janeiro de 2018.

História

2018: Prisão para Lula

Lula recorreu para a terceira instância e, mesmo condenado na segunda, Lula não perdeu imediatamente o direito de se candidatar às eleições presidenciais de 2018, como planeado pelo PT. Mas, em abril de 2018, o Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil negou um recurso de Lula, que pretendia ficar em liberdade até à decisão final. Assim torna-se quase impossível uma candidatura dele.

Desporto

A "bicicleta" de Cristiano Ronaldo (2018)

"Foi o melhor golo da minha carreira". Palavras do autor desta obra de arte. Cristiano Ronaldo, o melhor jogador do mundo, 649 golos. Só faltava mesmo um golo acrobático de CR7. O Real Madrid foi até Turim, jogar a primeira mão dos "quartos" da Champions. A partida estava 0-1 a favor do Real (golo de Ronaldo) quando o português marcou este golo. E o estádio levantou-se e aplaudiu.

Desporto

"Escorpião" (2017)

É o atual detentor do "Prémio Puskás". Olivier Giroud foi autor do melhor golo de 2017. O avançado francês, agora ao serviço do Chelsea, fez o melho golo da carreira, pela camisola do Arsenal. O gigante recebeu um cruzamento atrasado de Alexis Sanchez e, por isso, resolveu marcar de calcanhar, em mergulho, de frente para a baliza. Acaso ou propositado? Fica um golo mágico para a história recordar.

Desporto

"Arco de Zizou" (2002)

Passados quase 16 anos, é para muitos, o melhor golo de sempre na história da Liga dos Campeões. A final da "Champions" em 2002, em Glasgow, recebeu o Real Madrid e o Bayer Leverkusen. A partida estava empatada, 1-1, quando pouco antes do intervalo, Zinédine Zidane fez um golo para a vida. Cruzamento do lendário, Roberto Carlos, bola a cair do céu, e saiu um disparo de "Zizou".

Desporto

"Chapelaço amarelo" (1997)

Lars Ricken foi uma das promessas do futebol alemão, na década de 90. Passou toda a carreira ao serviço do Borussia de Dortmund e esteve num dos momentos mais altos da história do clube alemão. Corria a final da Liga dos Campeões, em 1997, o Dortmund vencia a Juventus por 2-1, quando Ricken entrou e 16 segundos depois, fez um chapelaço ao mítico Peruzzi e selou a única "Champions" do Dortmund.

Desporto

"Mão de Deus" (1986)

Diego Armando Maradona é considerado um dos melhores da história do futebol mundial. Tal como este golo. Recuemos até ao Mundial de 1986. Argentina e a anfitriã, Inglaterra, disputaram os quartos-de-final da prova. Depois de um golo em que deixou metade da equipa inglesa para trás, Maradona subiu aos céus para marcar com o braço esquerdo. Um gesto que apenas "El Pibe" faria.

Desporto

"Calcanhar de Alá" (1987)

É um dos golos mais brilhantes da história do futebol mundial. Corria o ano de 1987, em Viena, Áustria. O FC Porto enfrentava o poderoso Bayern de Munique na final da Taça dos Clubes Campeões Europeus. Entre as estrelas, surgiu um génio: Rabah Madjer. Os dragões perdiam, já na segunda parte, quando o argelino fez o impensável. Em vez de uma recarga normal, Madjer marcou de calcanhar.

Desporto

"Golo do Século" (1977)

Foi num jogo particular entre a Alemanha e a Suíça que nasceu o "golo do século". Klaus Fischer, avançado que passou maior parte da carreira no Schalke 04, fez um golo de bandeira, que deixou a Alemanha, que estava separada pelo muro de Berlim, unida na hora de qualificar a grandeza do golo do jogador que alinhou pela RFA (República Federal Alemã).

Desporto

"Penálti à Panenka" (1976)

Em 1976, jogava-se o Campeonato da Europa na antiga Jugoslávia. A Checoslováquia jogou a final frente à Républica Federal da Alemanha. A partida foi para penálties. No derradeiro pontapé, o checo Antonín Panenka picou levemente a bola para o meio da baliza. A Checoslováquia foi campeã da Europa e com ela nasceu o lendário e hoje reproduzido no futebol moderno "penálti à Panenka".

Desporto

"Pantera Negra" (1966)

É uma das imagens que marcou o futebol mundial. Em 1966, Portugal foi eliminado do Campeonato do Mundo pela Inglaterra. Quem não mereceu foi Eusébio. Foi o melhor marcador da prova, com 9 golos. O avançado moçambicano, que jogou pelas cores de Portugal, é considerado um dos melhores de todos os tempos. 733 golos em 745 jogos. O primeiro "Bola de Ouro" do futebol português e africano.

Desporto

"O Rei" (1958)

Para muitos, Pelé é o melhor jogador da história do futebol. Indiscutivel foram os 825 golos em toda a carreira. E golos como este. Final do Mundial de 1958, Brasil - Suécia. Pelé dominou de peito, fez um "cabrito" a um defesa e, de primeira, fez o golo. O Brasil venceu por 5-2 e ganhou o seu primeiro Mundial. Pelé tornou-se o mais jovem a conquistar um Mundial de futebol, com 17 anos.

Desporto

"Criador da bicicleta" (1950)

"Signor Rovesciata". Carlo Parola foi um defesa italino, que teve como apogeu a sua carreira na Juventus. Realizou mais de 300 jogos pela equipa de Turim. E foi num desses tantos jogos que Carlo Parola, em 1950, "inventou" o remate invertido, hoje conhecido como "pontapé de bicicleta". Esta novidade viria a tornar-se o logótipo da "Panini", fabricante de "cromos" do futebol mundial.

Sociedade

Jovem e energética

São 770 milhões de pessoas com menos de 35 anos na África subsaariana - 77% da população. Uma geração de jovens confiantes e dinâmicos que podem moldar o futuro de África. Mas muitos não vêem oportunidades nos seus países e sonham com a Europa. Muitos dos africanos que arriscam as suas vidas para atravessar o Mar Mediterrâneo são parte desses 77%.

Sociedade

Muitos mas sub-representados

Embora representem um terço da população, os jovens muitas vezes não têm voz nas decisões políticas. População jovem, governantes velhos. Presidentes com longos mandatos, como Paul Biya (84 anos), nos Camarões, Yoweni Museveni (79 anos), no Uganda, e Alpha Conde (79 anos), na Guiné, são uma realidade no continente. Muitos jovens não se sentem representados por esses governantes.

Sociedade

Com opinião política

Muitos jovens africanos estão politicamente envolvidos, manifestando-se contra injustiças, corrupção e fraude. Podem ser uma pedra no sapato para muitos políticos. A voz dos jovens ouve-se cada vez mais. E esse é o objetivo do projeto multimédia "Os 77 por cento": proporcionar uma plataforma para jovens africanos.

Sociedade

Uma plataforma de debate

Faz parte do projeto "Os 77 por cento – em busca do futuro" um segmento dos "social media" designado "What Else?" (por agora, somente em inglês) que pretende dar a conhecer histórias de africanos que não fazem manchete. A DW abre as plataformas sociais para os 77 por cento. Junte-se ao debate e partilhe histórias. Serão contadas na televisão, rádio e "social media".

Sociedade

Temas controversos

O projeto pretende debater temas em destaque em África. O objetivo é abordar tópicos controversos e quebrar tabus. Junte-se a Edith Kimani, que traz histórias e opiniões do continente, siga-a pelas metrópoles e conheça as novas tendências de África.

Sociedade

Sátira política

A sátira é uma das formas de abordar temas mais difíceis. Não há assunto que não seja alvo de sátira por parte do trio do Zimbabué "Zambezi News". Nem mesmo o ex-Presidente Robert Mugabe poderia calar os humoristas, que promovem a liberdade de expressão.

Sociedade

Fontes de inspiração

África é mais do que pobreza e violência. O projeto "Os 77 por cento" dá a conhecer pessoas que fazem a diferença. Já ouviu falar da primeira mulher piloto do Zimbabué ou do primeiro biólogo que desenvolve culturas resistentes à seca? "O 77 por cento" dá a conhecer este tipo de histórias que nem sempre têm espaço nos media convencionais e dá continuidade ao projeto "Africa on the Move".

Sociedade

Regresso à História de África

Aulas de história pouco estimulantes fazem parte do passado. O projeto "African Roots" ou "Raízes Africanas" revisita a História de forma dinâmica e criativa. Combatentes pela independência ou figuras proeminentes da História como Nzinga Mbande, Kwame Nkrumah e Patrice Lumumba voltam a ter vida através do trabalho de animação de artistas nigerianos.

Sociedade

Participe!

Estamos à espera das suas contribuições. Regularmente publicamos vídeos com o hastag #the77percent no Facebook da DW África com perguntas. Participe nos debates!

Albanian Shqip

Amharic አማርኛ

Arabic العربية

Bengali বাংলা

Bosnian B/H/S

Bulgarian Български

Chinese (Simplified) 简

Chinese (Traditional) 繁

Croatian Hrvatski

Dari دری

English English

French Français

German Deutsch

Greek Ελληνικά

Hausa Hausa

Hindi हिन्दी

Indonesian Indonesia

Kiswahili Kiswahili

Macedonian Македонски

Pashto پښتو

Persian فارسی

Polish Polski

Portuguese Português para África

Portuguese Português do Brasil

Romanian Română

Russian Русский

Serbian Српски/Srpski

Spanish Español

Turkish Türkçe

Ukrainian Українська

Urdu اردو