Cultura

Nobel de Literatura vai para Kazuo Ishiguro

Autor de "Os vestígios do dia", escritor britânico nascido no Japão, de 62 anos, é o premiado de 2017. Academia destaca a "grande força emocional" para justificar sua escolha.

Kazuo Ishiguro (Getty Images/B. A. Pruchnie)

O escritor britânico nascido no Japão Kazuo Ishiguro, de 62 anos, foi laureado nesta quinta-feira (05/10) com o Nobel de Literatura. No anúncio, a Academia Sueca destacou a "grande força emocional" de sua obra. Entre seus romances mais famosos está Os vestígios do dia, de 1989.

"Os escritos de Ishiguro são marcados por um modo de expressão cuidadosamente restrito, independentemente de qualquer evento que ocorra", disse a Academia. "Os temas com os quais ele está mais associado – memória, tempo e desilusão – são particularmente notáveis em seu romance mais renomado, Os vestígios do dia."

O livro Os vestígios do dia foi adaptado para o cinema num filme homônimo, que chegou a ser indicado ao Oscar e teve o ator Anthony Hopkins fazendo o papel do mordomo obcecado Stevens.

Entrevistada logo após o anúncio, a secretária permanente da Academia Sueca, Sara Danius, descreveu Ishiguro como um autor que é uma mistura entre Jane Austen e Franz Kafka, com um pouco de Marcel Proust.

"Ao mesmo tempo, é um escritor de grande integridade. Desenvolveu um universo estético próprio", afirmou Danius, que realçou que a Academia Sueca atribuiu o prêmio à obra na sua plenitude e não a um livro específico.

Questionada, porém, sobre qual o seu livro favorito do autor, Danius disse encarar todos os seus livros como "maravilhosos, verdadeiramente requintados", embora destaque O gigante enterrado, de 2015.

"Ele é muito interessado em compreender o passado, mas não é um escritor proustiano. Não está à procura de redimir o passado. Explora o que tem de esquecer para sobreviver, em primeiro lugar, enquanto indivíduo ou enquanto sociedade", afirmou. 

O escritor britânico nasceu em Nagasaki, no Japão, e estabeleceu residência com a família no Reino Unido no início da década de 1960, quando tinha cinco anos de idade. 

Destacou-se com os primeiros contos, publicados na revista Granta, escreveu para cinema e televisão, e é autor de canções. Tanto seu primeiro romance, Uma pálida visão dos montes (1982), e o subsequente Um artista do mundo flutuante (1986) se passam em Nagasaki poucos anos depois da Segunda Guerra. Com a obra Os vestígios do dia, ele venceu o renomado Booker Prize, em 1989.

Depois de dois anos de vencedores não convencionais, o anúncio desta quinta-feira marca o retorno da literatura tradicional ao Nobel de Literatura. O prêmio dotado em 9 milhões de coroas suecas (1,1 milhão de dólares) do ano passado foi para o compositor americano Bob Dylan e no ano anterior para a jornalista bielorrussa Svetlana Alexievich.  

Leia mais

Albanian Shqip

Amharic አማርኛ

Arabic العربية

Bengali বাংলা

Bosnian B/H/S

Bulgarian Български

Chinese (Simplified) 简

Chinese (Traditional) 繁

Croatian Hrvatski

Dari دری

English English

French Français

German Deutsch

Greek Ελληνικά

Hausa Hausa

Hindi हिन्दी

Indonesian Bahasa Indonesia

Kiswahili Kiswahili

Macedonian Македонски

Pashto پښتو

Persian فارسی

Polish Polski

Portuguese Português para África

Portuguese Português do Brasil

Romanian Română

Russian Русский

Serbian Српски/Srpski

Spanish Español

Turkish Türkçe

Ukrainian Українська

Urdu اردو