Schröder vai presidir conselho de administração da Rosneft

Ex-chanceler federal alemão é eleito para o cargo por acionistas da empresa petrolífera russa, que é alvo da sanções da UE devido ao envolvimento da Rússia na crise da Ucrânia.

O ex-chanceler federal alemão Gerhard Schröder, de 73 anos, foi escolhido nesta sexta-feira (29/09), em São Petersburgo, para presidir o conselho administrativo da petrolífera russa Rosneft, após os acionistas da empresa, controlada pelo Estado, aprovarem sua indicação.

Em agosto, o governo russo havia indicado Schröder, que é amigo do presidente Vladimir Putin, para o cargo na empresa, alvo de sanções europeias devido ao envolvimento da Rússia na crise da Ucrânia. Ao lado de seis indicados, o nome de Schröder constava num decreto assinado pelo primeiro-ministro Dmitri Medvedev para elevar de 9 para 11 o número de membros do conselho administrativo da Rosneft.

"Antes de mais nada, sinto-me lisonjeado por ter sido eleito não apenas membro do conselho administrativo, mas presidente", disse Schröder após a votação. "Sou um diretor independente. Uma das minhas tarefas será buscar consenso onde houver opiniões divergentes."

A candidatura de Schröder foi abertamente apoiada pelo presidente da Rosneft, Igor Sechin, para quem o ex-chanceler poderá contribuir para melhorar a presença internacional da empresa. "Schröder é um político conceituado e renomado que advogou persistentemente pela cooperação estratégica entre Alemanha, Europa e Rússia", afirmou Sechin aos acionistas antes da votação. "Ele se empenha para melhorar os laços da Alemanha com a Rússia." Sechin é um aliado de Putin e considerado o segundo homem mais poderoso da Rússia.

Deutschland Gerhard Schroeder mit dem russiascher Präsident Wladimir Putin

Schröder (dir.),amigo pessoal de Vladimir Putin, é abertamente contra as sanções internacionais impostas contra Moscou

A Rosneft adquiriu a maioria dos bens da petrolífera Yukos após Mikhail Khodorkovsky, fundador da empresa e adversário político de Putin, ser preso em 2003 e passar uma década atrás das grades. 

Nos últimos três anos, as sanções impostas pela União Europeia (UE) impediram a Rosneft de obter empréstimos de longo prazo em bancos europeus. Schröder se opõe publicamente às medidas adotadas por Bruxelas. "Lamento muito que existam as sanções", disse o ex-chanceler após a votação. "As conversações devem se voltar para o relaxamento das sanções. Não estou entre os que as apoiam. É pertinente para o mundo todo que haja uma Rússia estável, do ponto de vista econômico e político."

Amizades em Moscou

Membro do Partido Social-Democrata (SPD), ele ocupou a chancelaria alemã entre 1998 e 2005, sendo sucedido pela chanceler federal Angela Merkel, da União Democrata Cristã (CDU).

Schröder foi criticado por Merkel e membros de seu próprio partido em razão de seu envolvimento com a Rosneft. Em agosto, a chanceler o criticou por concorrer a um cargo na empresa que lhe renderia 500 mil dólares por ano. "Não acho correto o que Schröder está fazendo", disse Merkel.

Nos últimos dias de seu mandato, Schröder assinou um acordo com a Rússia para a construção do gasoduto Nord Stream, que transporta gás natural do território russo para a Alemanha através do Mar Báltico. A principal acionista da Nord Stream é a empresa russa Gazprom.

Schröder é o presidente do comitê de acionistas da Nord Stream e, desde o ano passado, preside também a Nord Stream 2, que tem como objetivo dobrar a capacidade de exportação do gás natural pelo gasoduto do Mar Báltico.

Assuntos relacionados

RC/afp/dpa/rtr

Política

EUA em "contato direto" com Pyongyang

Em visita à China, o secretário de Estado americano, Rex Tillerson, revelou que os Estados Unidos mantêm canais de comunicação abertos com a Coreia do Norte. Segundo ele, Washington avalia se o regime de Kim Jong-un está disposto a dialogar sobre seu programa nuclear. Em nota mais tarde, Departamento de Estado disse que Pyongyang ainda não mostrou sinais de interesse para manter conversas. (30/09)

Política

Incidente sonoro

Em reação aos "ataques acústicos" em Cuba, os EUA ordenaram a retirada de metade dos funcionários diplomáticos da embaixada em Havana e alertaram americanos a não viajar ao país. Os EUA alegam que pelo menos 21 pessoas tiveram problemas de saúde decorrentes do incidente. Investigadores americanos ainda não sabem o que e quem estaria por trás do problema. Cuba nega qualquer envolvimento. (29/09)

Política

Mais um recorde

O governo de Michel Temer é avaliado como ótimo ou bom por apenas 3% dos brasileiros, e 77% o classificam de ruim ou péssimo, segundo pesquisa do Ibope. Este é o pior desempenho na avaliação do governo de um presidente da República desde o início da série da pesquisa Ibope, em 1986. O segundo pior resultado havia sido justamente a marca anterior de Temer, de 70% de reprovação. (28/09)

Política

Confiança em queda

Ao mesmo tempo que subiu uma posição no ranking de competitividade, ficando na 80ª posição entre 137 países avaliados, o Brasil é o último colocado em termos de confiança da população na classe política, aponta o relatório do Fórum Econômico Mundial. O resultado confirma a tendência de queda dos últimos anos nos critérios que medem a confiança pública em políticos. (27/09)

Política

Presidente da AfD deixa partido

A recém-eleita deputada Frauke Petry, co-presidente da Alternativa para a Alemanha (AfD), anunciou que vai deixar o partido nacionalista. Ela não esclareceu se vai fundar um novo partido, ingressar num já existente ou exercer seu mandato como parlamentar independente. Em meio a uma disputa de poder, apenas dois dias depois de ter entrado no Bundestag, a legenda já corre o risco de rachar. (26/09)

Política

Pyongyang diz que Trump declarou guerra

O ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong-ho, afirmou que as ameaças do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre seu país representam uma "declaração de guerra". Ele acrescentou que tais ameaças dão a Pyongyang o direito de abater aviões de guerra americanos que se aproximarem do país asiático. A Casa Branca condenou a declaração, descrevendo-a como "absurda". (25/09)

Política

Merkel garante quarto mandato

O resultado das eleições alemãs deve render um quarto mandato para Angela Merkel à frente do governo federal. Seu partido, União Democrata Cristã (CDU), teve 32,8% dos votos. O Partido Social-Democrata (SPD), que anunciou sua saída do governo, obteve 20,4%. A novidade foi a ascensão dos populistas da Alternativa para a Alemanha (AfD), que estreiam no Parlamento após conquistarem 13%. (24/09)

Política

A campanha chega ao fim

A chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, e seu adversário social-democrata Martin Schulz passaram o último dia da campanha em eventos nos seus redutos eleitorais. Merkel, cujo partido, que aparece na liderança, fez um apelo para que os eleitores indecisos votem. Já Schulz pediu para que alemães não apoiem populistas de direita., disse. (23/09)

Política

Tensão na Rocinha

O governo federal destacou 950 soldados das Forças Armadas para patrulharem o entorno da favela da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro, em apoio às polícias civil e militar, que realizam operações diárias na comunidade há quase uma semana. Um tiroteio intenso entre policiais e criminosos durante a manhã provocou tumulto e pânico na cidade, além de deixar quase 7 mil alunos sem aula. (22/09)

Política

Novas sanções à Coreia do Norte

O presidente dos EUA, Donald Trump, informou que assinou uma ordem executiva ampliando as sanções contra a Coreia do Norte. Elas envolvem punições a bancos estrangeiros, indivíduos e empresas que facilitem o comércio com o país asiático. A medida "cortará as fontes que financiam os esforços norte-coreanos de desenvolver as armas mais mortíferas que a humanidade conhece", disse o líder. (21/09)

Política

Terremoto no México

Um terremoto de magnitude 7,1 atingiu o centro e a capital do México, causando pânico no país e deixando mais de 200 mortos em vários estados. Muitos prédios ficaram destruídos, enquanto cidadãos e equipes de resgate buscam por vítimas embaixo dos escombros. Na Cidade do México, dezenas de pessoas, incluindo crianças, morreram em uma escola. Foi decretado luto de três dias no país. (19/09)

Política

Trump ameaça destruir Coreia do Norte

Em discurso agressivo em sua primeira intervenção na Assembleia Geral da ONU, o presidente americano, Donald Trump, defendeu que a única solução será destruir totalmente a Coreia do Norte caso o regime em Pyongyang continue ameaçando os Estados Unidos e aliados. "Estamos prontos, dispostos e em condições, mas tomara que não seja necessário", disse, em referência a um possível ataque. (19/09)

Política

Dodge toma posse na PGR

Indicada por Michel Temer e aprovada pelo Congresso, a nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, tomou posse em Brasília. Durante a cerimônia, ela adotou um tom conciliador, afirmando que a estabilidade da nação depende da harmonia entre os três poderes. Dodge disse ainda que o combate à corrupção é importante, mas que também há outras tarefas. Ela sucede Rodrigo Janot no cargo. (18/09)

Política

Verde, esperança

Ela é a última que morre: em seu congresso em Berlim, o Partido Verde e seus líderes Katrin Göring-Eckardt (esq.) e Cem Özdemir mostraram que não se deixam intimidar pelas pesquisas de opinião, onde são os últimos entre os grupos menores. A legenda ecológica aposta numa terceira colocação na eleição legislativa de 24 de setembro e conta ter um papel numa futura coalizão de governo. (17/09)

Política

Começa a Oktoberfest 2017

Apesar do tempo ruim e recordes negativos de frequência no ano anterior, inaugura-se mais uma vez a tradicional festa da cerveja em Munique. De dirndl, lederhose e outros trajes típicos, cerca de 9 mil músicos, caçadores, porta-estandartes e demais animadores vindos de muitas partes da Alemanha prestigiaram a abertura na capital bávara, A edição 2017 da Oktoberfest vai até 3 de outubro. (16/09)

Política

Ataque em Londres

Uma explosão num trem na estação de Parsons Green, no oeste de Londres, deixou ao menos 29 feridos e causou pânico em plena hora do rush. Autoridades investigam o incidente como ato terrorista, enquanto o grupo extremista "Estado Islâmico" (EI) reivindicou autoria do ataque. A primeira-ministra britânica, Theresa May, informou que elevou o alerta de terrorismo no país para o nível máximo. (15/09)

Política

Temer é denunciado pela segunda vez

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou o presidente Michel Temer pelos crimes de obstrução de Justiça e organização criminosa. Segundo a ação, ele teria poder de decisão no chamado "quadrilhão do PMDB da Câmara", bem como atuado para comprar o silêncio de investigados. O empresário Joesley Batista, da JBS, teve acordo de delação revogado e foi denunciado na mesma ação. (14/09)

Política

Ciclone Sebastian varre norte da Alemanha

Pelo menos três pessoas morreram com a chegada de uma grande tempestade na Alemanha. Ventos de até 150 quilômetros derrubaram árvores e andaimes, além de provocarem cortes de energia. Os estragos foram sentidos no norte e noroeste do país. Na foto, pessoas tentam se proteger dos fortes ventos em uma praia alemã.(13/09)

Política

Principal acusada no caso NSU é condenada à prisão perpétua

A Procuradoria-Geral da Alemanha pediu pena de prisão perpétua para a única sobrevivente da organização terrorista de extrema direita NSU (Clandestinidade Nacional-Socialista), Beate Zschäpe. Ela é a principal acusada pelas mortes de dez pessoas, nove delas comerciantes de origem turca ou grega e uma policial, entre 2000 e 2006. (12/09)

Política

O primeiro aniversário do 11 de Setembro com Trump

Donald Trump prestou homenagem às vítimas dos atentados do 11 de setembro de 2001. "Os terroristas que nos atacaram pensavam que poderiam incitar o medo e enfraquecer nosso espírito, mas os Estados Unidos não podem se intimidados", disse. O presidente e a primeira-dama, Melania, participaram de duas cerimônias, uma nos jardins da Casa Branca, e outra no Pentágono. (11/09)

Política

Prisão dos delatores

O empresário Joesley Batista é fotografado dentro de um carro ao deixar a casa do pai em direção à sede da Polícia Federal em São Paulo. O dono do grupo J&F e o executivo da empresa Ricardo Saud se entregaram à PF em São Paulo, após mandado de prisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, atendendo a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. (10/09)

Política

À espera do Irma

Banhistas e praticantes de kitesurf se reúnem em praia da Flórida na véspera da chegada do furacão, considerado o mais potente a atingir o Atlântico. O governador Rick Scott ampliou a ordem de retirada da população do estado para 6,3 milhões de pessoas. (09/09)

Política

Prisão de Geddel

A Polícia Federal (PF) cumpriu mandado de prisão preventiva contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima. O pedido de prisão foi feito pelo Ministério Público Federal, após mais de 51 milhões de reais terem sido encontrados em imóvel em Salvador (foto) que teria sido emprestado a ele – a maior apreensão de dinheiro em espécie da história do Brasil. (08/09)

Política

Furacão Irma

Ilhas no Caribe foram deixadas em escombros após a passagem do furacão Irma, um dos mais fortes da história. Ao menos dez mortos foram contabilizados na região, ameaçada por mais dois furacões. A ilha de Barbuda teve 95% de suas construções danificadas. O furacão Irma, de categoria 5, a máxima na escala Saffir-Simpson, causou destruição em quatro ilhas diferentes. (07/09)

Política

Memorial em Munique

Quarenta e cinco anos após um brutal atentado terrorista realizado durante os Jogos Olímpicos de Munique, a cidade alemã foi palco de uma cerimônia de inauguração de um monumento em homenagem às vítimas. O memorial, de 2,3 milhões de euros, é composto por imagens e biografias das 11 vítimas israelenses e de um policial alemão morto durante uma operação fracassada de libertação dos reféns. (06/09)

Política

40 anos do Outono Alemão

Início do período que ficou conhecido como Outono Alemão completa 40 anos. No dia 5 de setembro de 1977, o grupo terrorista Fração do Exército Vermelho (RAF) sequestrou Hanns Martin Schleyer, então presidente da Confederação da Indústria Alemã e da Confederação das Associações de Empregadores Alemães. Rapto marcou auge da luta entre o Estado alemão e o terrorismo de extrema esquerda. (05/09)

Política

Mais um herdeiro

O príncipe William, segundo na linha de sucessão à Coroa britânica, e a duquesa de Cambridge, Kate Middleton, estão esperando o terceiro filho, informou o Palácio de Kensington. A duquesa sofre de náuseas e vômitos como em gestações anteriores e cancelou compromisso em Londres. O sexo do bebê ainda não foi revelado. (04/09)

Política

O primeiro e único debate da campanha alemã

A chanceler federal, Angela Merkel, e o social-democrata Martin Schulz se encontraram cara a cara para um debate televisivo dominado por temas controversos como islã, imigração, refugiados e relação com a Turquia. Ficaram de fora educação, gastos militares e o Brexit. Pesquisas apontam que Merkel, favorita na eleição que vai ocorrer no dia 24 de setembro, venceu o embate com Schulz. (03/09).

Política

Trump se encontra com afetados pela tempestade Harvey

O presidente dos EUA, Donald Trump, se encontrou com vítimas das enchentes provocadas pela tempestade Harvey em um abrigo em Houston, no Texas. Uma primeira viagem à região nesta semana foi criticada quando Trump se limitou a se reunir com autoridades locais. Na sexta-feira, ele pediu ao Congresso a liberação de 7,9 bilhões de dólares para os afetados. (02/09)

Política

Brasil encerra missão no Haiti

O Brasil encerra sua presença no Haiti após 13 anos liderando militarmente a Missão das Nações Unidas para a Manutenção no Haiti (Minustah), iniciada em 2004, após um golpe que provocou a renúncia do então presidente Jean-Bertrand Aristide. O Brasil enviou ao Haiti 37,5 mil militares neste período. Polícia Nacional Haitiana é um dos principais legados. (01/09)