Banco alemão apoia reconstrução pós-Idai com 14 milhões de euros

Apoio do banco alemão para o desenvolvimento (KfW) ajudará na reconstrução das zonas afetadas pelo Idai, em Moçambique. Quase metade dos 14 milhões de euros será para a construção de escolas mais resistentes.

O banco alemão para o desenvolvimento (KfW) anunciou esta terça-feira (14.05) uma verba de 14 milhões de euros para ajudar na reconstrução das zonas atingidas pelo ciclone Idai, no centro de Moçambique.

"O KfW apoia a rápida reconstrução de infraestruturas após os ciclones em Moçambique, para que as pessoas afetadas possam sentir o alívio destes efeitos graves das alterações climáticas o mais rapidamente possível. Ao mesmo tempo, as medidas visam atenuar as consequências de futuros eventos climáticos extremos, como inundações e ciclones", disse Joachim Nagel, membro do Conselho Executivo do banco KfW.

Segundo um comunicado do banco, estes recursos serão utilizados especialmente para reconstruir infraestruturas municipais, como sistemas de abastecimento de água potável e estradas em várias comunidades.

Na província de Manica, as centrais hidroelétricas de Mavuzi e Chicamba também serão reparadas com os recursos do KfW. Já na província de Sofala, a cidade da Beira, um dos locais mais destruídos pelo Idai, terá a zona ao longo do rio Chiveve totalmente reflorestada, o que vai ajudar na preservação dos mangais.

Distrito de Búzi, nos arredores da Beira

Escolas resistentes

Além dessas infraestruturas, um dos focos da ajuda do banco estatal alemão é a reconstrução de escolas resistentes às intempéries. Só na província de Sofala, o ciclone Idai destruiu total ou parcialmente 3.500 salas de aula em cerca de 600 escolas. Por isso, dos 14 milhões de euros oferecidos pelo banco, pelo menos 6 milhões vão ser investidos em escolas.

De acordo com o banco, será aplicado um novo design na construção das escolas, através de telhados mais estáveis, por exemplo, a fim de garantir que o edifício seja mais resistente a futuras tempestades e inundações naquela região.

A cidade da Beira já estava a ser beneficiada por um projeto de barragens financiado pelo banco alemão para o desenvolvimento. Desde 2016, estas barragens evitam inundações durante o período de chuvas fortes e maré alta. Projeto que, segundo o comunicado do banco, evitou estragos priores após a passagem do ciclone Idai na Beira.

Há cerca de um mês, o Governo da Alemanha já havia destinado 50 milhões de euros para ajudar na reconstrução de infraestruturas destruídas pelo ciclone Idai.

Ciclone Idai: Onda de solidariedade alemã para com Moçambique

Cruz Vermelha Alemã: Unidade sanitária móvel para a Beira

A cidade da Beira vai receber uma unidade sanitária móvel para 20.000 pessoas e um sistema de água potável para fornecer 15.000 pessoas, anunciou a Cruz Vermelha Alemã (DRK). Esta organização que coopera com a Cruz Vermelha de Moçambique já conseguiu angariar em termos de donativos individuais 50.000 euros até ao momento. A recolha de fundos ainda está activa.

Ciclone Idai: Onda de solidariedade alemã para com Moçambique

Cruz Vermelha Alemã: Já esteve ativa na prevenção

Ainda antes do ciclone Idai atingir o território moçambicano houve uma campanha de prevenção para ajudar a população a enfrentar o ciclone. Foram distribuídos comprimidos para purificar a água e kits de primeiros socorros. Além desta ajuda também foram fornecidos cobertores, lonas, colchões e utensílios de cozinha.

Ciclone Idai: Onda de solidariedade alemã para com Moçambique

Caritas Alemanha: distribui alimentos

A Caritas alemã, organização da igreja católica, pede donativos no seu site e também já está em Moçambique. Um dos parceiros locais em Moçambique é a Associação Esmabama. Têm distribuído na Beira alimentos como farinha, feijão e óleo para cozinhar e água potável. Também distribuíram produtos de primeira necessidade como roupa, cobertores, sabonetes, kits de primeiros socorros e baldes.

Ciclone Idai: Onda de solidariedade alemã para com Moçambique

Diocese de Friburgo: donativo de 100.000 euros

O bispado de Friburgo no sudoeste da Alemanha fez um dos maiores donativos. Deram cem mil de euros à Caritas para ajudar as vítimas do ciclone. "As notícias que nos chegam dos nossos parceiros locais em Moçambique são dramáticas", disse Oliver Müller, director da organização de ajuda da Caritas. Disse que estão a fornecer "alimentos, água potável, artigos de higiene, cobertores e vestuário".

Ciclone Idai: Onda de solidariedade alemã para com Moçambique

Diakonie Katastrophenhilfe: cooperação com igrejas em Moçambique

A Diakonie Katastrophenhilfe, a organização de ajuda de emergência da igreja luterana, foi uma das primeiras ONGs a fazer apelos a donativos logo após o ciclone e já conseguiu angariar 100.000 euros. Em conjunto com a CEDES, Comité Ecuménico para o Desenvolvimento Social, tem dado apoio em várias regiões de Moçambique. A ajuda alimentar desta organização já chegou a 50.000 moçambicanos.

Ciclone Idai: Onda de solidariedade alemã para com Moçambique

Igrejas: colheita de donativos

Foram muitas paróquias que dedicaram as colheitas das missas de domingo às vítimas do ciclone em Moçambique. Uma delas foi esta igreja católica reformada de Colónia, a Christi Auferstehung (Alt-Katholische Kirche Deutschlands). O pastor pediu aos fiéis uma ajuda generosa que iria reverter a favor da campanha da Diakonie Katastrophenhilfe.

Ciclone Idai: Onda de solidariedade alemã para com Moçambique

Igrejas: Informação sobre a situação em Moçambique

Na porta da igreja, foi afixado um cartaz com informações detalhadas sobre a situação no centro de Moçambique. Destaque para a cidade da Beira e as destruições causadas na província de Sofala. O cartaz lembra a necessidade de apoiar as vítimas que perderam quase tudo.

Ciclone Idai: Onda de solidariedade alemã para com Moçambique

Diakonie Katastrophenhilfe: prioridade assegurar água potável

Uma das principais prioridades da Diakonie Katastrophenhilfe é garantir que haja água potável. Nesse sentido já foram distribuídos medicamentos para purificar a água. O director responsável de África da Diakonie Katastrophenhilfe, Kai M. Henning garante o seguinte, “agora temos de sobretudo fornecer água potável às pessoas, há um grande risco das águas ficarem contaminadas e espalharem doenças.”

Ciclone Idai: Onda de solidariedade alemã para com Moçambique

Action Medeor: foco em medicamentos

“A logística para a área do desastre é difícil porque grande parte das infra-estruturas da região foram destruídas pelo ciclone", relata Bernd Pastors. A fim de poder levar rapidamente os medicamentos para a zona sinistrada, a Action Medeor está a processar as entregas de ajuda urgentemente necessárias através das filiais na Tanzânia e no Malawi.

Ciclone Idai: Onda de solidariedade alemã para com Moçambique

Action Medeor e DMG: parceria com a Universidade Católica

Juntamente com a Sociedade Alemã-Moçambicana (Deutsch-Mosambikanische Gesellschaft - DMG), a Action Medeor está a preparar ajuda médica para a Universidade Católica de Moçambique na Beira. Os doentes da cidade mais gravemente afectados pelo ciclone podem ser tratados através do centro de saúde associado.

Ciclone Idai: Onda de solidariedade alemã para com Moçambique

UNICEF Alemanha: foco na educação

O comité nacional da UNICEF, a organização educacional das Nações Unidas, juntou-se ao apoio das vítimas do ciclone. Cerca de 2.600 salas de aulas foram destruídas (foto de escola na Beira) durante o ciclone e há uma grande preocupação em recuperar as escolas rapidamente. Será uma das tarefas principais da UNICEF em Moçambique.

Ciclone Idai: Onda de solidariedade alemã para com Moçambique

Ordem de Malta Internacional: equipa de ajuda no local

Uma equipa da Ordem de Malta Internacional da Alemanha (Malteser International) já viajou para Moçambique para prestar socorros urgentes (foto simbólica). "A situação é confusa. ... As infra-estruturas do país estão muito danificadas e estamos numa corrida contra o tempo", diz Oliver Hochedez, Chefe de Ajuda de Emergência da Ordem de Malta Internacional.

Ciclone Idai: Onda de solidariedade alemã para com Moçambique

Technisches Hilfswerk: 5.000 litros de água por hora

A agência estatal da Alemanha de ajuda técnica, Technisches Hilfswerk (THW), enviou uma equipa a Nhangau, nos arredores da Beira. Na quinta-feira (28.03), já conseguiu instalar uma unidade móvel que fornece 5.000 litros de água potável por hora. "Os 30 poços da região estão contaminados com bactérias de diarreia", conta Jens-Olaf Knapp, que lidera a equipa do THW na província de Sofala.

Ciclone Idai: Onda de solidariedade alemã para com Moçambique

Technisches Hilfswerk: escola com água saudável

Os responsáveis do THW, que na sua maioria costumam ser voluntários alemães, relatam que ficaram muito contentes com a reação da população local de Nhangau após a instalação da central de água. "Um passo muito importante para manter as crianças saudáveis", comentou Esmeralda Basela, a diretora da escola local, onde foi instalada a unidade móvel de água do THW.