++ Minuto a Minuto: Contagem de votos das eleições na Guiné-Bissau ++

Oposição contesta reivindicação da vitória por parte do PAIGC. País aguarda a divulgação dos resultados provisórios. CNE divulga resultados esta quarta-feira (13.03).

Mais informações sobre o dia da votação das eleições legislativas na Guiné-Bissau:

++ Minuto a Minuto: Eleições na Guiné-Bissau ++

++ Minuto a Minuto: PAIGC vence as eleições de 2019 na Guiné-Bissau ++


Os principais acontecimentos da contagem dos votos na Guiné-Bissau:

- PAIGC e APU-PDGB assinam acordo de incidência parlamentar para "garantir estabilidade"

- Missões de observação da CPLP e União Africana são unânimes e saúdam ambiente de calma em eleições livres e transparentes

- Rede Nacional das Associações Juvenis apreensiva com pronunciamentos dos partidos antes da divulgação dos resultados oficiais

- PRS rejeita declaração de vitória do PAIGC. "É uma informação falsa", disse o porta-voz deste partido

- MADEM-G15 diz que ninguém venceu com maioria absoluta, condena "especulação" e pede que se aguardem resultados da CNE

- PAIGC declara-se vencedor das legislativas, segundo os dados recolhidos pelo partido. FREPASNA já reconheceu a sua derrota 

- Maioria dos observadores e monitores da sociedade civil fazem balanço positivo do escrutínio

- Resultados não confirmados do escrutínio estão a ser divulgados nas redes sociais


22:00 Encerramos aqui mais um dia de acompanhamento ao minuto dos desenvolvimentos pós-eleitorais na Guiné-Bissau. Voltamos às 7h, esta quarta-feira, dia em que está previsto o anúncio dos resultados provisórios pela Comissão Nacional de Eleições. Fique connosco!

21:38 Em declarações à imprensa, após a conferência, Domingos Simões Pereira e Nuno Nabian falam num entendimento entre os dois partidos "que vai garantir a governação e estabilidade" e a "construção de uma nova Guiné". Simões Pereira diz que "vai ficar muito claro que o PAIGC tem maioria" quando forem divulgados os resultados oficiais da CNE, mas diz que é preciso "um consenso alargado".

21:00 O acordo de incidência parlamentar para garantir estabilidade no país após as legislativas de domingo foi anunciado pelos líderes do PAIGC e do APU-PDGB, Domingos Simões Pereira e Nuno Nabian, numa conferência de imprensa conjunta. O objetivo deste acordo é um "Governo estável e um parlamento estável durante quatro anos", disse Califa Seidi, terceiro vice-presidente do PAIGC, que anunciou o entendimento dos dois partidos. O anúncio deste entendimento surge antes do anúncio dos resultados provisórios da votação de domingo pela Comissão Nacional de Eleições, previsto para esta quarta-feira. Segundo fontes dos dois partidos, este acordo assegura uma maioria absoluta clara, depois do contexto de instabilidade recente no país.

20:31 PAIGC e APU-PDGB assinam em Bissau um acordo pós-eleitoral que visa obter a maior absoluta no novo Parlamento da Guiné-Bissau. O correspondente da DW África em Bissau, Braima Darame, presenciou o encontro.

Ao vivo agora
00:20 min
MEDIATECA | 12.03.2019

Guiné-Bissau: PAIGC e APU-PDGB assinam acordo pós-eleitoral

20:10 A missão de observação eleitoral da União Africana fala em "ambiente de paz, calma e serenidade" do processo eleitoral guineense e "exorta todos a respeitar o veredicto das urnas". Na voz do chefe da missão, Rafael Branco, a organização elogia as condições em que decorreu a votação e o apuramento dos votos, destacando a participação ativa da comunidade internacional e a presença "discreta" das forças militares.

Ao vivo agora
01:24 min
MEDIATECA | 12.03.2019

União Africana: Eleições guineenses foram "livres e transp...

19:43 Luiz Pedroso, chefe da missão de observação eleitoral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, apresentou há momentos à imprensa a declaração preliminar da organização, que saúda o civismo dos guineenses nas eleições de domingo, esperando que isso seja um sinal para a estabilidade do país.

Ao vivo agora
03:41 min
MEDIATECA | 12.03.2019

Eleições na Guiné-Bissau: CPLP saúda civismo e serenidade

A CPLP regista ainda "com agrado a elevada participação de mulheres no exercício do direito de voto, bem como a sua presença ativa como membros das mesas". Recorde aqui o trabalho da DW África no Dia Internacional da Mulher, a 8 de março, sobre a desilusão das mulheres guineenses com os partidos políticos.

18:40 O Movimento Nacional da Sociedade Civil da Guiné-Bissau criticou hoje os partidos políticos guineenses por anteciparem publicamente eventuais resultados eleitorais, apelando ao cumprimento do código de conduta e ética, assinado em fevereiro. Em comunicado divulgado à imprensa, o Movimento Nacional da Sociedade Civil guineense pede também aos partidos políticos para cumprirem com estabelecido na lei eleitoral e reservarem o anúncio dos resultados à Comissão Nacional de Eleições. A organização não-governamental pede aos guineenses para manterem o civismo demonstrado no domingo, dia em que se realizaram as eleições legislativas. "O Movimento Nacional da Sociedade Civil manifesta o seu repúdio a qualquer ato suscetível de minar o cumprimento do código de conduta ética e eleitoral e a paz eleitoral", refere a organização não-governamental.

18:34  Enquanto se aguarda a divulgação das primeiras conclusões das missões de observação da CPLP e da União Africana, um apelo da CEDEAO: a organização pede à Guiné-Bissau que promova um "diálogo inclusivo" que permita uma "consolidação da paz" no país, após as eleições de domingo. Na declaração preliminar da sua missão de observação, a CEDEAO faz "um apelo à todos os guineenses a trabalhar incansavelmente para a consolidação da paz, coesão nacional e a persistir no diálogo inclusivo, a fim de preservar o interesse geral do país".  

"Estas eleições legislativas, que decorrem num contexto bastante particular da vida política do país, são anunciadas como uma solução vital para a saída da crise interna e para o retorno do país a uma trajetória estabilizada dentro da comunidade internacional", considera a CEDEAO.

Rafael Branco liderou a missão de observadores eleitorais da União Africana, no domingo.

17:55 As missões de observação eleitoral da União Africana e CPLP estão prestes a dar início à conferência de imprensa para a declaração preliminar sobre a votação.

17:00 Os jovens guineenses aguardam com alguma apreensão a divulgação dos resultados eleitorais pela CNE. Em causa, a especulação nas redes sociais e os pronunciamentos dos partidos políticos concorrentes antes do anúncio oficial da Comissão Nacional de Eleições, marcado para quarta-feira. A DW África falou com o presidente da Rede Nacional das Associações Juvenis da Guiné-Bissau, Seco Duarte Nhaga, que apela à contenção dos partidos e pede aos jovens que não se deixem manipular.

Ao vivo agora
03:48 min
MEDIATECA | 12.03.2019

Eleições na Guiné-Bissau: Jovens apreensivos à espera dos ...

15:15 A embaixada dos Estados Unidos Unidos - Escritório de Ligação de Bissau felicita "o povo, os partidos políticos e o Governo da Guiné-Bissau pela organização de eleições legislativas bem sucedidas". Em comunicado, a representação norte-americana destaca as contribuições da CEDEAO, da União Africana, da CPLP, do Escritório Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau (UNIOGBIS) e da União Europeia e diz que "testemunhou um processo de votação aberto, pacífico e eficiente nas assembleias de voto em todo o país". 

15:06 À semelhança da FREPASNA, dois partidos políticos reconheceram esta terça-feira a derrota nas eleições de domingo. O líder do Partido Democrático para o Desenvolvimento (PPD), Policiano Gomes, admitiu que a sua formação política perdeu e reconheceu que o pleito decorreu de forma positiva. Já o presidente do Movimento Patriótico, o pastor José Paulo Semedo, fez saber que o partido não atingiu os objectivos preconizados, mas está satisfeito pela confiança transmitida pelo povo.

Policiano Gomes (ao centro) assume a derrota do PPD, que não conseguiu, segundo o líder do partido, atingir "a meta da eleição de, pelo menos, um deputado".

14:24 A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) saudou hoje o civismo dos guineenses nas eleições de domingo, esperando que isso seja um sinal para a estabilidade do país, que nos últimos quatro anos viveu num bloqueio político.

 "O civismo e serenidade" com que a população da Guiné-Bissau exerceu o seu direito de voto "constitui um importante contributo à boa governação, à estabilidade e ao desenvolvimento económico e social, bem como para o reforço da democracia e do estado de direito no país", refere a CPLP, numa declaração preliminar hoje divulgada.  

Segundo os observadores da CPLP, as mesas de voto "funcionaram de forma ordeira e pacífica", com o cumprimento das condições técnicas, como a presença de delegados de partidos políticos e outros observadores do processo. 

"Com base no trabalho que desenvolveu, a missão da CPLP considera que as eleições legislativas, do dia 10 de março de 2019, decorreram em consonância com as práticas internacionais de referência, no respeito pelos princípios democráticos e direitos políticos consagrados na Constituição da República da Guiné-Bissau e de acordo a lei eleitoral do país", pode ler-se no comunicado.  

"Numa democracia, os resultados eleitorais são sempre base necessária da normalidade institucional", alertam os observadores. 

A missão, que contou com 18 observadores e foi chefiada pelo diplomata brasileiro Luiz Eduardo Villarinho Pedroso, organizou-se em sete equipas de vigilância que cobriram as regiões de Bafatá, Cacheu, Biombo, Bissau, Gabu e Oio.

12:39 O civismo demonstrado pelo povo guineense, no passado domingo, continua a ser elogiado nas redes sociais.

11:45 O Nha Voto, plataforma que está a monitorar as eleições na Guiné-Bissau, "apela a todos os partidos um maior respeito pelas regras democráticas e observação escrupulosa do Código de Ética e Conduta Eleitoral que assinaram e que se comprometeram respeitar". Numa nota divulgada na sua página online, esta plataforma exorta os partidos a parar com " as manobras que visam por em causa a credibilidade do processo e esperar que a CNE divulgue oficialmente os resultados eleitorais".

10:55 Vítor Pereira, porta-voz do Partido da Renovação Social (PRS) garantiu, esta manhã, em conferência de imprensa, que o povo não conferiu a ninguém a "maioria confortável" para governar sozinho nas eleições de domingo.

Ao vivo agora
03:21 min
MEDIATECA | 12.03.2019

Guiné-Bissau: PRS acusa PAIGC de querer "semear confusão"...

Após "a infeliz declaração [de ontem] do PAIGC sobre os resultados eleitorais", o PRS explica que, "de acordo com as informações que os partidos têm, nenhuma das forças políticas atingiu sequer a barra dos 40 deputados, por isso é falsa a informação da maioria folgada que o PAIGC sustenta para semear a confusão".

10:38 O que dizem e pensam os principais partidos políticos guineenses, a sociedade civil e a comunidade internacional sobre as eleições deste domingo (10.03). 

Farpas e elogios: Frases das eleições na Guiné-Bissau

PAIGC

O PAIGC declarou-se, na segunda-feira (11.03), vencedor das eleições legislativas de 10 de março na Guiné-Bissau. O porta-voz do partido João Bernardo Vieira garantiu que o povo conferiu ao PAIGC os destinos do país. No domingo, após votar, o líder do PAIGC, Domingos Simões Pereira, disse que estas eleições representam "um momento de viragem" para que, na Guiné-Bissau, "o império da lei vingue".

Farpas e elogios: Frases das eleições na Guiné-Bissau

MADEM-G15

Após o anúncio do PAIGC, o Movimento para a Alternância Democrática frisou que ninguém ganhou as eleições com maioria absoluta e que também fará parte do próximo Governo do país. As declarações de Braima Camará no domingo, dia das eleições, foram das mais críticas, pois o líder do MADEM-G15 acusou o primeiro-ministro de "usar dinheiro público para corromper líderes de opinião no dia de reflexão".

Farpas e elogios: Frases das eleições na Guiné-Bissau

PRS

O Partido da Renovação Social disse, esta terça-feira, que "é falsa a informação da maioria folgada que o PAIGC sustenta para semear a confusão"."Nenhuma das forças políticas atingiu sequer a barra dos 40 deputados", disse Vítor Pereira. No domingo, depois de votar, Alberto Nambeia, líder do PRS, disse que esta votação constitui um "balão de oxigénio" para o povo, que quer mudanças no país.

Farpas e elogios: Frases das eleições na Guiné-Bissau

FREPASNA

Baciro Djá considera que era o candidato com mais experiência nestas eleições e, por isso, o justo vencedor. No entanto, esta segunda-feira, o líder do partido Frente Patriótica para a Salvação Nacional (FREPASNA) foi o primeiro a reconhecer a derrota no pleito. "Consideramos que o nosso resultado foi péssimo e a responsabilidade máxima é minha, enquanto presidente do partido", disse.

Farpas e elogios: Frases das eleições na Guiné-Bissau

Comissão Nacional de Eleições (CNE)

Pouco depois do arranque do pleito, no domingo, José Pedro Sambú, presidente da CNE, disse aos jornalistas que o processo estava a decorrer num "clima de transparência e sem sobressaltos". O mesmo cenário foi reportado pela porta-voz da comissão, ao final do dia. Felizberta Vaz garantiu ainda que os "pequenos problemas" que surgiram foram resolvidos. A CNE divulga os resultados esta quarta-feira.

Farpas e elogios: Frases das eleições na Guiné-Bissau

Presidente da República

Em declarações aos jornalistas, depois de votar, no domingo, José Mário Vaz garantiu que os observadores estavam "surpresos" pela positiva com a Guiné-Bissau. O Presidente guineense pediu à imprensa para que passasse lá para fora essa "grande imagem" da Guiné-Bissau como um país onde "não há problemas". "Considero a Guiné-Bissau hoje campeã da liberdade", disse.

Farpas e elogios: Frases das eleições na Guiné-Bissau

Primeiro-ministro guineense

Também no domingo, o primeiro-ministro guineense disse estar emocionado com a concretização de um processo eleitoral "difícil e intenso", no qual foi "necessária a intervenção da comunidade internacional". Aristides Gomes acrescentou ainda que, apesar das dificuldades, este foi um processo cheio de "pedagogia".

Farpas e elogios: Frases das eleições na Guiné-Bissau

Organização das Nações Unidas

David McLachlan-Karr, enviado das Nações Unidas à Guiné-Bissau, tem estado a reportar, com frequência, o ambiente vivido no país nestas eleições, nas redes sociais. Esta segunda-feira, o representante da ONU deu os parabéns à população guineense que, "em todo o país, saiu [às ruas] para votar pacificamente e com muito orgulho cívico".

Farpas e elogios: Frases das eleições na Guiné-Bissau

Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Também a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), na pessoa de Luiz Villarinho Pedroso, acompanhou de perto a votação. No domingo, dia da eleição, o chefe da missão da CPLP disse que estas eleições foram um "exercício cívico exemplar", que decorreu com a "maior tranquilidade e normalidade". O balanço preliminar do escrutínio será feito ao longo desta terça-feira (12.03).

Farpas e elogios: Frases das eleições na Guiné-Bissau

CEDEAO

À semelhança da ONU e da CPLP, também a CEDEAO deu nota positiva às eleições guineenses. Numa conferência de imprensa, esta segunda-feira (11.03), Kadré Désiré Ouedraogo, chefe da Missão de Observação da CEDEAO, disse que as legislativas no país decorreram "de forma pacífica e transparente". Acrescentou ainda que espera que "todos [os partidos] aceitem os resultados".

Farpas e elogios: Frases das eleições na Guiné-Bissau

União Africana

Após o encerramento das urnas na Guiné-Bissau, Rafael Branco, chefe da Missão de Observação Eleitoral da União Africana destacou a forma tranquila com que decorreu o processo e salientou a "participação cívica notável".

Farpas e elogios: Frases das eleições na Guiné-Bissau

Liga Guineense dos Direitos Humanos

Também as organizações locais fizeram chegar elogios. À semelhança do que foi dito pela CNE, Augusto Mário da Silva, presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos, disse ter havido registo de "algumas falhas", mas "que foram imediatamente supridas". Tirando os atrasos na abertura das urnas em algumas mesas e trocas de cadernos eleitorais, "o processo decorreu de forma regular", disse.

Farpas e elogios: Frases das eleições na Guiné-Bissau

Sociedade Civil

Por último, a Célula de Monitorização do Processo Eleitoral salientou, esta segunda-feira, que "os eleitores compareceram em massa para exercer o seu direito de voto". Este grupo de monitorização das eleições, composto por 420 pessoas, espalhadas por todo o país, saudou também "a boa presença das forças de segurança nos centros de votação observados".

07:20 De acordo com o nosso correspondente em Bissau, é com "muita apreensão" que a população está a aguardar a divulgação dos resultados provisórios das legislativas.  "As pessoas acreditam que poderá haver confusão nos próximos dias", explicou Braima Darame. Desde domingo, conta, os quatro principais partidos têm estado a anunciar, através das redes sociais, a sua vitória com maioria absoluta. "São situações que colocam ainda mais dúvidas aos guineenses sobre se os partidos vão mesmo aceitar os resultados que vão ser anunciados pela CNE. As pessoas não acreditam que isto acabe de forma aceitável", diz. Na segunda-feira, vários observadores disseram à imprensa nacional que há o grande risco de algum partido não aceitar os resultados e criar distúrbios na capital, colocando manifestantes nas ruas em protesto. Tudo está em aberto, tudo é possível", conclui Braima Darame.

07:02 Observadores da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) fazem, esta terça-feira, o balanço preliminar das eleições legislativas.

07:00 Continua a contagem de votos na Guiné-Bissau. Esta terça-feira (12.03) é esperada a reação da segunda maior força política no país, o PRS, sobre os resultados que têm estado a ser divulgados pelos partidos. Ontem, ao fim do dia, o PAIGC declarou-se o vencedor do escrutínio. 


DIA 1 - Contagem de votos das eleições legislativas de 10 de março na Guiné-Bissau

21:55  E chegamos ao fim do acompanhamento ao minuto do primeiro dia após as eleições legislativas na Guiné-Bissau. Esta terça-feira (12.03), a partir das 7h00, retomamos o trabalho para que fique a par de todos os desenvolvimentos pós-eleitorais. 

21:34 Nas redes sociais, continua o debate pós-eleitoral. No Facebook e no Twitter multiplicam-se imagens do dia da votação, mensagens de apoio aos candidatos e palavras de apreço ao povo guineense pela forma como decorreram as eleições no domingo.

21:07 Observadores da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) remetem para esta terça-feira o balanço preliminar das eleições legislativas.

20:41 Depois de o PAIGC reivindicar vitória nas legislativas de domingo, o Movimento para a Alternância Democrática (MADEM-G15), avisa desde já que ninguém ganhou as eleições com a maioria absoluta e que, pelos dados que tem, vai participar na governação da Guiné-Bissau nos próximos quatro anos. Em conferência de imprensa, Marciano Silva Barbeiro, diretor de campanha do partido formado essencialmente por antigos dirigentes e militantes do PAIGC, pediu "calma e serenidade" ao povo guineense e condenou a "especulação" e tentativas de confundir a população nas redes sociais e nos órgãos de comunicação.

Ao vivo agora
03:59 min
MEDIATECA | 11.03.2019

Guiné-Bissau: MADEM-G15 diz que vai participar na governação


20:25 Chefe da missão de observação da CEDEAO diz que eleições na Guiné-Bissau decorreram "de forma pacífica e transparente". Kadré Désiré Ouedraogo espera que "todos aceitem os resultados".

Ao vivo agora
01:28 min
MEDIATECA | 11.03.2019

CEDEAO: Eleições na Guiné-Bissau decorreram "de forma pací...


19:38 O PAIGC declara-se vencedor das eleições legislativas de 10 de março. De acordo com os dados recolhidos pelo partido, segundo o porta-voz João Bernardo Vieira, o povo conferiu ao PAIGC os destinos do país.

Ao vivo agora
03:28 min
MEDIATECA | 11.03.2019

Guiné-Bissau: PAIGC declara-se vencedor das legislativas

18:32 A missão de observação eleitoral da CEDEAO faz um balanço preliminar da votação de domingo, numa conferência de imprensa em Bissau. Ao centro, o chefe da missão, Kadré Désiré Ouedraogo.

17:38 A Célula de Monitorização Eleitoral, com 420 monitores um pouco por todo o país, faz o balanço do dia das eleições. Os monitores da sociedade civil afirmam que "as assembleias de voto, de um modo geral, abriram no horário determinado pela lei" e "dispunham de materiais logísticos à hora de abertura", apesar de "situações de falta de cadernos eleitorais em algumas mesas". O grupo salienta que "os eleitores compareceram em massa para exercer o seu direito de voto" e saúda "uma boa presença das forças de segurança nos centros de votação observados".

A Célula de Monitorização Eleitoral dá ainda conta de alguns "incidentes isolados", como a violência verbal em algumas assembleias de voto e eleitores com cartão cujos nomes estavam ausentes das listas, mas frisa que, "na maior parte dos casos, os incidentes foram resolvidos pelo diálogo".

17:15 Continuam os elogios ao processo eleitoral: o Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, destacou hoje a "manifestação de civismo" que representou a forma como decorreram as eleições e retomou a intenção de visitar o país. Jorge Carlos Fonseca disse aos jornalistas que o ato eleitoral decorreu "da melhor forma possível, com tranquilidade". Tratou-se, na opinião do chefe do Estado cabo-verdiano, de "uma manifestação de civismo que é digna de nota, demonstração de civismo que não é a primeira vez que sucede nas eleições na Guiné Bissau". "Vamos aguardar os resultados destas eleições e acompanhar o processo de formação do novo Governo, esperando nós que as coisas continuem a correr bem e que os guineenses adquiram de uma forma definitiva os caminhos de progresso social económico e cultural que bem merecem", adiantou. 

Marcelo Rebelo de Sousa e Jorge Carlos Fonseca foram dois dos chefes de Estado a congratular a Guiné-Bissau pelas eleições legislativas de domingo.

16:35  O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, destacou hoje, em Cabo Verde, a "forma pacífica" e a "participação apreciável" nas eleições de domingo na Guiné-Bissau, escreve a agência Lusa. "Eu fiquei muito feliz, o Governo português já disse isso, pela forma como decorreu: pacífica, estável, normal, com uma participação apreciável, isto é, foi uma boa notícia", disse Marcelo Rebelo de Sousa. "Quando nós temos, num universo da comunidade a que pertencemos [CPLP], essas boas notícias, o ato eleitoral ter decorrido de forma tão democrática, serena e pacífica, isso é uma boa notícia, vamos esperar pelos resultados", afirmou. Marcelo Rebelo de Sousa esteve na cidade da Praia, onde fez uma escala depois de uma visita de Estado a Angola, que terminou no sábado. 

15:40 Missão Eleitoral da CEDEAO, chefiada por Kadré Désiré Ouedraogo, ex-primeiro-ministro do Burkina Faso e antigo presidente da organização regional, reuniu com o Presidente da República, José Mário Vaz, para felicitar o povo guineense pelo civismo e a forma ordeira como decorreram eleições legislativas. A CEDEAO está a recolher informações dos 40 observadores espalhados pelo país e fará o balanço preliminar do escrutínio ainda esta tarde. Para já, o líder da missão saúda o processo eleitoral que ajuda o país num caminho "em direção à estabilidade e democracia". 

15:23 Resultados provisórios das eleições serão divulgados na quarta-feira, diz a porta-voz da CNE Felisberta Moura Vaz, apelando "à tolerância, serenidade, sentido de responsabilidade de todos os atores políticos e órgãos de comunicação social". Segundo a porta-voz, a Comissão Nacional de Eleições ainda não está em condições de divulgar a taxa de participação que foi, "no geral, positiva".

Ao vivo agora
02:25 min
MEDIATECA | 11.03.2019

Guiné-Bissau: CNE faz o balanço das eleições

14:20  A sede da Comissão Nacional de Eleições na capital está esta segunda-feira sob a vigilância da ECOMIB, a força da CEDEAO, enquanto se aguarda a divulgação do balanço do ato eleitoral. "A CNE é a única instituição autorizada a avançar os primeiros resultados no espaço de 48 horas" após a votação de domingo, disse à agência de notícias France Presse um porta-voz da Comissão Eleitoral. "Recolhemos as atas em Bissau e os partidos políticos também recolheram as suas. Faltam as dos interior do país, que chegam a conta-gotas", acrescentou o porta-voz da CNE.

13:06 Baciro Djá, líder do partido Frente Patriótica para a Salvação Nacional (FREPASNA), reconhece derrota nas eleições. "Consideramos que o nosso resultado foi péssimo e a responsabilidade máxima é minha, enquanto presidente do partido", declarou Baciro Djá, numa conferência de imprensa, esta manhã, em Bissau. Aos jornalistas, o candidato explicou que as suas declarações são baseadas nos resultados apurados pela sua equipa de monitorização. O partido tinha como objetivo eleger "entre 29 e 30 deputados, um em cada círculo". Um objetivo que falhou, explica, "não por falta de trabalho e dedicação", mas porque [o FREPASNA] optou por fazer "uma política ligada à moralidade, verdade e à ética" e não uma política de suborno e corrupção".

Ao vivo agora
04:00 min
MEDIATECA | 11.03.2019

Guiné-Bissau: Baciro Djá reconhece derrota nas legislativas

11:15 Antigo primeiro-ministro de Cabo Verde, José Maria Pereira Neves, felicita eleições no "país irmão".

10:18 O favorito à vitória das legislativas na Guiné-Bissau é o PAIGC. Seguem-se, segundo analistas, o PRS, o MADEM-G15 e o FREPASNA. A DW África falou com os líderes destes partidos. Recorde...

Movimento para a Alternância Democrática (MADEM-G15

Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC)

Partido da Renovação Social (PRS )

Frente Patriótica para a Salvação Nacional ( FREPASNA )

Outros partidos candidatos são: Partido da Convergência Democrática (PCD)lAssembleia do Povo Unido – Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB)lPartido da Nova Democracia (PND)lUnião para Mudança (UM) lPartido da Unidade Nacional (PUN)lCongresso Nacional Africano (CNA)lMovimento Democrático Guineense (MDG)lPartido Republicado da Independência para o Desenvolvimento (PRID)lMovimento Guineense para o Desenvolvimento (MGD)lPartido Social Democrata (PSD)lPartido da Renovação Social (PRS).

Os resultados provisórios devem ser anunciados esta terça-feira (12.03)

09:29 A Missão de Observação Eleitoral da CEDEAO, chefiada pelo antigo presidente da Comissão, Kadré Désiré Ouedraogo, fará o balanço preliminar da votação deste domingo, por volta das 17:00, em Bissau. Esta manhã, estará reunido com todas as missões de observadores e com o Presidente da República, José Mário Vaz.

09:20 Durante a manhã desta segunda-feira, têm estado a surgir nas redes sociais, muitas notícias sobre os resultados das legislativas, dá conta o correspondente da DW em Bissau, Braima Darame. Devido à apreensão dos guineenses em relação ao futuro do país, têm estado a ser divulgados, por parte dos militantes e simpatizantes do PAIGC, MADEM-G15 e PRS, resultados não confirmados. É de salientar que a divulgação dos resultados oficiais só compete à CNE.

08:40 O Presidente da República português disse estar "feliz" com a forma como decorreu o ato eleitoral na Guiné-Bissau e mostrou-se "expectante" em relação ao que se irá passar no país. Marcelo Rebelo de Sousa falou aos jornalistas, este domingo(10.03), à chegada à cidade da Praia, em Cabo Verde, depois da sua visita de Estado a Angola.
 
07:54 Nas redes sociais, é visível a satisfação pelo modo como decorreu o ato eleitoral deste domingo (10.03). A Guiné-Bissau está de parabéns, consideram observadores eleitorais, guineenses e instituições.

07:37 A Organização das Nações Unidas saudou as legislativas na Guiné-Bissau. Num comunicado publicado no seu site, a ONU dá conta também do ambiente "tranquilo" que se registou no país este domingo (10.03). David Mclachlan-Karr, membro da equipa das Nações Unidas enviada às eleições, dá os parabéns à população que, "em todo o país, saiu [às ruas] para votar, pacificamente e com muito orgulho cívico". 

07:20 Tal como as missões de observação eleitoral da CEDEAO, da União Africana e da CPLP, as organizações da Sociedade Civil, agrupadas na Célula de Monitorização Eleitoral, fizeram um balanço positivo da votação.

Ao vivo agora
03:00 min
MEDIATECA | 11.03.2019

Guiné-Bissau: Observadores dão nota positiva ao processo e...

À DW África, o presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos, Augusto Mário da Silva, um dos 420 monitores nestas eleições, confirmou que o "processo de votação decorreu num ambiente de tranquilidade".  O mesmo representante deu conta do registo de "algumas falhas", mas "que foram imediatamente supridas", não tendo havido "grandes incidentes". "Houve pessoas que não votaram porque os nomes não constarem nos cadernos eleitorais, mas é uma situação que já estava prevista", explicou. Para Augusto Mário da Silva, tirando os atrasos na abertura das urnas em algumas localidades e trocas de cadernos eleitorais, "o processo de votação decorreu de forma regular e tranquila".

07:10 O apuramento dos resultados dos 29 círculos eleitorais deve terminar esta segunda-feira (10.03). Na terça-feira  (12.03) será feito o anúncio dos resultados provisórios, anunciou a porta-voz da Comissão Nacional de Eleições, Felisberta Vaz. Durante a manhã desta segunda-feira (11.03) é esperado o balanço do ato eleitoral por parte da CNE.

Legislativas na Guiné-Bissau contaram com 118 observadores internacionais.

07:02 Em declarações aos jornalistas, após a votação deste domingo (10.03), o antigo primeiro-ministro e atual presidente da FREPASNA, afirmou que estas legislativas representam "uma oportunidade ímpar para os guineenses poderem encontrar progresso, desenvolvimento, estabilidade e bem-estar". Considerando ser o candidato com mais experiência, e por isso o justo vencedor, Baciro Djá chamou a atenção para a importância desta votação. "Não é um jogo Benfica vs Sporting, mas um jogo da seleção, onde os guineenses escolherão os dirigentes que vão dirigir o futuro do nosso país e das suas famílias", disse. O líder do partido FREPASNA disse ainda que "aceitará" qualquer um dos resultados e frisou que: "a Guiné-Bissau não tem problemas com votação, tem problemas em escolher os dirigentes com vocação para a política", por isso, apelou, "votem nos dirigentes com experiência política, não nos aventureiros e não naqueles que tiveram vocação para fazerem comércio e tiverem insucesso".

07:00 Continua em todo o território nacional o processo de contagem de votos das eleições legislativas deste domingo (10.03).

O dia das eleições legislativas na Guiné-Bissau

Longas filas no início do dia

As urnas abriram as 07h00 de domingo na Guiné-Bissau. Mais de 761 mil eleitores guineenses foram chamados às urnas para votarem nas eleições legislativas e escolherem, entre os candidatos de 21 partidos políticos, os novos representantes do parlamento do país.

O dia das eleições legislativas na Guiné-Bissau

Três mil mesas em todo o país

Os eleitores puderam votar em mais de três mil mesas de voto distribuídas pelos 29 círculos eleitorais da Guiné-Bissau. A maior parte das mesas concentrou-se na capital, Bissau (foto). Antes de entregar os documentos para votar, os agentes eleitorais controlaram a identificação de cada eleitor.

O dia das eleições legislativas na Guiné-Bissau

Guineenses esperam solução para crise

Há esperança que estas eleições legislativos de 2019 venham a solucionar a crise política que o país vive desde meados de 2015, após a demissão, pelo Presidente José Mário Vaz, do Governo liderado por Domingos Simões Pereira, vencedor das legislativas de 2014 com maioria absoluta. Ambos são do mesmo partido, o PAIGC, mas não conseguiram cooperar nos últimos anos.

O dia das eleições legislativas na Guiné-Bissau

"Guiné-Bissau é campeã da liberdade"

Em declarações ao jornalistas, depois de votar, o Presidente guineense José Mário Vaz disse que as eleições ocorreram "sem mortos, sem espancamentos, sem prisões arbitrárias, sem golpes de Estado, sem prisioneiros políticos." O Chefe de Estado salientou que o pleito teve lugar num ambiente de "liberdade de manifestação, de expressão e de imprensa" e considerou a Guiné-Bissau "campeã da liberdade".

O dia das eleições legislativas na Guiné-Bissau

Poucas queixas sobre a organização eleitoral

Agentes das brigadas de votação queixaram-se da falta de agentes de segurança em algumas mesas de voto e falam de uma baixa afluência nas regiões do interior do país. Houve queixas de alguns guineenses, que não conseguiram votar, porque possuíam cartão de eleitor, mas não tinham o seu nome nos cadernos eleitorais, feitos a partir de uma base informatizada.

O dia das eleições legislativas na Guiné-Bissau

Boas notas dos observadores

O Chefe da Missão de Observação Eleitoral da União Africana, Rafael Branco (à esq.), deu nota positiva ao processo eleitoral. "As mesas de voto abriram a horas, nós estivemos lá. O processo de abertura correu sem qualquer incidente, as populações estavam lá à espera da sua vez para votar, num ambiente de tranquilidade", afirmou Rafael Branco à DW África.

O dia das eleições legislativas na Guiné-Bissau

CPLP: "Exercício cívico exemplar"

A missão da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) disse que as eleições na Guiné-Bissau foram um "exercício cívico exemplar" que decorreu com a "maior tranquilidade e normalidade". A CPLP fez um balanço positivo do ato eleitoral sem registo de incidentes.

O dia das eleições legislativas na Guiné-Bissau

Votação também no estrangeiro

Em Portugal, a votação na mesa de voto da Embaixada da Guiné-Bissau em Lisboa decorreu com normalidade. Registou-se apenas a reclamação de um eleitor que não conseguiu votar por não ter obtido o cartão de eleitor durante o recenseamento eleitoral. A mesa da Assembleia de Voto nº 1 teve como presidente Braima Seidi, que dirigiu uma equipa constituída por elementos de seis partidos políticos.

O dia das eleições legislativas na Guiné-Bissau

Contagem nos próximos dias

As urnas na Guiné-Bissau fecharam às 17h00 (hora local) de domingo. Ao longo dos próximos dias, os votos serão contados. A porta-voz da Comissão Nacional de Eleições (CNE), Felisberta Vaz, disse que os resultados oficiais provisórios serão conhecidos na terça-feira (12.03). As eleições legislativas foram impostas pela comunidade internacional após uma longa crise política desde 2015.

O dia das eleições legislativas na Guiné-Bissau

Três partidos como favoritos

O favorito à vitória é o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC). Seguem-se, segundo analistas, o Partido da Renovação Social (PRS) e o Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15). O último foi formado por dissidentes que saíram do PAIGC após longas divergências entre as várias alas do antigo movimento de libertação.