RENAMO denuncia "tentativas de aliciamento" em Marromeu

Segundo partido mais votado no município de Marromeu, província moçambicana de Sofala, diz que militantes da FRELIMO tentaram aliciar membros da RENAMO para eleger cargos de chefia na Assembleia Municipal.

Militantes da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO) terão tentado aliciar membros da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) para votarem a favor da FRELIMO na nomeação de cargos de chefia, como o de presidente ou vice-presidente da Assembleia Municipal.

A denúncia é de António Bauase, porta-voz da RENAMO na Assembleia Municipal de Marromeu.

A FRELIMO saiu vitoriosa nas últimas autárquicas, mas ficou a poucas décimas de distância da RENAMO (45,78% contra 45,53% dos votos, respetivamente). Ambas elegeram o mesmo número de membros da Assembleia Municipal – oito de cada partido – enquanto o Movimento Democrático de Moçambique (MDM) elegeu apenas um.

"Os membros da FRELIMO passaram pelas nossas casas para nos corromper com dinheiro, porque sabiam que estamos empatados: oito da FRELIMO, oito da RENAMO e um do MDM. Eu mesmo fui vítima disso. Contactaram-me e neguei qualquer tipo de aliciamento".

Ouvir o áudio 02:56
Ao vivo agora
02:56 min
MEDIATECA | 08.02.2019

RENAMO denuncia "tentativas de aliciamento" em Marromeu

Impedimento de votar

A RENAMO, que denunciou anteriormente que o processo eleitoral em Marromeu foi fraudulento, não irá assumir nenhum cargo de chefia na Assembleia Municipal, porque um dos seus membros, substituto de um outro que faleceu, não teve direito a votar.

"Temos um membro que perdeu a vida e entregámos um documento na administração estatal solicitando a sua substituição. Chegada a hora de o juiz decidir, ele anunciou que a substituição daquele membro era automática. Mas, na hora de votação para a eleição do presidente e vice-secretário da assembleia, o juiz anunciou que o membro substituto não tinha direito de voto, uma decisão que, quanto a nós, não tem explicação."

Assim, a RENAMO ficou somente com sete votos, enquanto a FRELIMO ficou com oito, vencendo desta forma a eleição para todos os três cargos de chefia.

João Alberto, chefe da bancada da FRELIMO, justifica o impedimento ao voto com o regulamento: "Só depois de se eleger a mesa da assembleia autárquica [um ato que teve lugar apenas na quinta-feira] é que podem ser apresentados os documentos legais para se saber onde a pessoa se encontra..."

O responsável rejeitou as acusações de aliciamento, desafiando a RENAMO a apresentar provas.

Na quinta-feira (07.02), Vitória Artur Timbe tomou posse como edil. Mas a RENAMO não esteve presente.

Assuntos relacionados

Autárquicas: Quem venceu nas principais cidades de Moçambique

Eneas Comiche, edil da capital entre 2004 e 2008, venceu em Maputo

Segundo o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) e a Comissão Nacional de Eleições (CNE), a Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO) saiu como grande vencedora em Maputo com 56,95% dos votos, contra os 36,43% da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO). O Movimento Democrático de Moçambique (MDM) foi a terceira força política mais votada com 5,13%.

Autárquicas: Quem venceu nas principais cidades de Moçambique

Com margem estreita, Calisto Cossa conquista segundo mandato na Matola

No município da Matola, a FRELIMO foi considerada vencedora com 48,05% dos votos, contra os 47,28% da RENAMO, uma diferença inferior a um ponto percentual. A vitória da FRELIMO foi, no entanto, contestada pela oposição. Membros da Comissão Distrital de Eleições disseram mesmo que houve fraude eleitoral.

Autárquicas: Quem venceu nas principais cidades de Moçambique

Emídio Xavier, da FRELIMO, eleito pelo município de Xai-Xai

Na província de Gaza, concretamente na cidade de Xai-Xai, a FRELIMO venceu com 81,21% dos votos contra apenas 12,36% da RENAMO. Em 134 mesas, Xai-Xai registou 53,90% de votos válidos e uma abstenção de 43,86%.

Autárquicas: Quem venceu nas principais cidades de Moçambique

Benedito Guimino, da FRELIMO, reeleito em Inhambane

Na cidade de Inhambane, capital provincial, a FRELIMO arrasou com 79,50% contra os 15,55% da RENAMO. Sobraram apenas 4,95% para o MDM. Inhambane contou com 65 mesas de voto e uma abstenção de 35,14%.

Autárquicas: Quem venceu nas principais cidades de Moçambique

Daviz Simango, líder do MDM, mantém-se na Beira

Na cidade da Beira, província de Sofala, o MDM conseguiu a única vitória neste sufrágio. A terceira força parlamentar arrecadou 45,77% dos votos. Em segundo lugar, ficou a FRELIMO com 29,26%. Em terceiro, surge a RENAMO com 24,57%. Neste município registou-se uma abstenção de 36,65%.

Autárquicas: Quem venceu nas principais cidades de Moçambique

João Ferreira foi aposta da FRELIMO na cidade de Chimoio

Em Chimoio, província de Manica, a FRELIMO obteve maioria absoluta com 52,51% da votação. A RENAMO garantiu 44,51% dos votos válidos. Nesta cidade do centro do país havia 220 mesas e, curiosamente, não foram contabilizados quaisquer votos nulos ou brancos.

Autárquicas: Quem venceu nas principais cidades de Moçambique

Manuel de Araújo reeleito em Quelimane - desta vez pela RENAMO

Na província da Zambézia, cidade de Quelimane, a RENAMO venceu com 59,17% da votação contra os 36,09% arrecados pelo partido no poder, a FRELIMO. Quelimane com 168 mesas de votos registou uma taxa de abstenção de 34,72%. Do total de votos, 61,39% foram considerados válidos.

Autárquicas: Quem venceu nas principais cidades de Moçambique

César de Carvalho volta à edilidade de Tete, que liderou entre 2004 e 2013

Na província de Tete, na cidade com o mesmo nome, a FRELIMO levou a melhor com 54,49% contra os 43,02% da RENAMO, num universo de 57,04% votos considerados válidos. Nesta província do Centro Norte de Moçambique havia 184 mesas de voto.

Autárquicas: Quem venceu nas principais cidades de Moçambique

RENAMO vence em Nampula com atual edil Paulo Vahanle

Em Nampula, a RENAMO obteve mais votos do que o partido no poder. 59,42% dos munícipes votaram no principal partido da oposição, contra os 32,20% que votaram na FRELIMO. O MDM surge em terceiro com 6,23%. Nesta cidade contabilizaram-se 196.230 votos válidos, o que corresponde a 57,30% do total da votação. Em Nampula havia 456 mesas de voto.

Autárquicas: Quem venceu nas principais cidades de Moçambique

FRELIMO vence no município de Lichinga

Na cidade de Lichinga, na província do Niassa, a FRELIMO ganhou com 51,93% contra os 45,19% da RENAMO. O MDM garantiu o terceiro posto com apenas 2,88%. A abstenção situou-se nos 41,91%.

Autárquicas: Quem venceu nas principais cidades de Moçambique

Em Pemba, venceu Florete Simba Motarua da FRELIMO

Na cidade de Pemba, província de Cabo Delgado, a vitória foi alcançada pela FRELIMO que arrecadou 54,21% dos votos. A RENAMO não foi além dos 39,01%. Pemba com 134 mesas de votos contabilizou 56,23% de votos válidos. A taxa de abstenção nesta cidade nortenha foi de 40,87%.