Serra Leoa: Pobreza extrema leva crianças e jovens à prostituição

Na Serra Leoa, 70% da população sobrevive com menos de dois euros por dia. Devido à pobreza e problemas familiares, muitas crianças e jovens adolescentes são obrigadas a trabalhar na prostituição.

A organização não-governamental (ONG) Don Bosco tem um autocarro que passa pelas ruas da capital da Serra Leoa, Freetown, todas as sextas-feiras. Há um ano que esta ONG tem um programa a decorrer com menores que trabalham na prostituição. As meninas já conhecem o trabalho da Don Bosco e esperam pelo autocarro. Sabem que ali encontrarão comida, bebida e cuidados médicos.

 "Vamos ao encontro de meninas em situação de prostituição para assegurar as suas necessidades, como necessidade de intervenção médica, psicológica ou social. A maioria das raparigas têm entre 14 e 19 anos", explica Francis, líder deste programa.

Quando o autocarro já está cheio, segue para os arredores da cidade e para num espaço vazio destinado a um mercado. Depois, decorrem diversos tipos atividades com as jovens, com o principal objetivo de levantar a moral destas raparigas.

Sierra Leone Stichwahl für Präsidentenamt

70% da população da Serra Leoa vive com menos de dois euros por dia

"As raparigas por vezes chegam tristes, mas quando fazemos atividades lúdicas, isso deixa-as mais alegres, dá-lhes mais vida. Elas enfrentam muitos desafios nas ruas. Homens que não pagam, que lhes batem, que roubam. Algumas das que vêm aqui ainda estão ativas mas outras pararam depois da nossa intervenção", conta Fatmata Bintu, assistente social na Don Bosco.

Outra das componentes importantes das sessões é a saúde. São realizados pequenos check-ups e testadas algumas infeções sexualmente transmissíveis. Fatmata Bintu diz que "muitas têm doenças". Os casos mais graves são reencaminhados para oshospital.

Prostituição como fuga à pobreza 

Aminata, nome fictício, viu-se forçada a trabalhar nas ruas com 11 anos devido à pobreza. A jovem conta que, num momento em que estava a viver na rua, conheceu uma senhora que a convidou para ir viver com ela e mais outras raparigas, que já se dedicavam ao trabalho sexual, foi assim que também ela começou.

"Via as raparigas a voltar para casa com dinheiro, a gabar-se. Isso fez-me segui-las. Fui para as ruas para ganhar dinheiro à noite", conta.

Ouvir o áudio 03:25
Ao vivo agora
03:25 min
Internacional | 15.08.2018

Serra Leoa: Pobreza leva crianças e jovens à prostituição

Hoje, com 15 anos, Aminata é uma das meninas que já deixou o trabalho sexual graças à intervenção da Don Bosco.

Os homens que recorrem a serviços sexuais de meninas menores pagam poucos euros. E o preço é ainda mais baixo se usarem preservativo, algo que a maior parte dos homens não quer fazer.

"Na rua, eles perguntam se têm de usar preservativo ou não. Se tiverem de usar, ganha-se menos, à volta de 5 euros. Sem preservativo são cerca de 8 euros", conta Jene, nome fictício, outra das meninas abrangidas pelo programa da Don Bosco.

Assuntos relacionados

Jovens sonham com regresso à escola

Quando a sessão da Don Bosco termina, o autocarro leva as raparigas de volta para a cidade. Algumas ainda vão trabalhar para as ruas, outras, como Aminata terão uma noite mais descansada, ainda que durma no chão de um quarto com muitas outras raparigas.

Tanto Jene como Aminata gostariam de poder regressar à escola e a ONG Don Bosco quer fazer com que isso aconteça. "Quero voltar para a escola, quero fazer os exames finais encontrar trabalho. Gostava de ser contabilista. Gostava de poder ir para Inglaterra", conta Jene.

Além de tudo o que passaram, as raparigas poderão ainda ter de enfrentar o estigma das comunidades em relação a meninas que foram trabalhadoras sexuais, mas se conseguirem regressar à escola rápido, o futuro poderá ser mais risonho.

Economia

Uma bênção para a Serra Leoa?

Nos seus tempos livres o padre Emmanuel Momoh explora uma mina. Em Março encontrou um diamante de 709 quilates, que entregou às autoridades para que a receita da venda reverta a favor de todos. Num leilão o diamante obteve a oferta recorde de 7,7 milhões de dólares. Mas o Governo de Freetown achou-a muito baixa e organizou um novo leilão que deverá decorrer na Bélgica nas próximas semanas.

Economia

A estrela da Serra Leoa

Já em 1972 foi encontrado um diamante gigantesco na Serra Leoa. Com um peso bruto de 969 quilates, a “estrela da Serra Leoa” foi dividida em 17 partes. Apesar da riqueza em recursos naturais, o país ocupa um dos últimos lugares no Índice de Desenvolvimento da ONU. Durante décadas, o comércio ilegal de diamantes financiou uma guerra civil na qual morreram dezenas de milhares de pessoas.

Economia

Botswana: o sítio dos maiores diamantes

Quando se trata do tamanho e do valor de diamantes, o Botswana ocupa o primeiro lugar. O segundo maior diamante jamais extraído no mundo tem o nome “Lesedi La Rona”, ou “a nossa luz”. É do tamanho de uma bola de ténis e tem 1.109 quilates. Foi encontrado em 2015 com a ajuda de raios-X. A iniciativa valeu a pena: mais tarde foram extraídos mais dois diamantes de muitos quilates no mesmo local.

Economia

A pedra preciosa mais cara é sul-africana

Em Abril o “pink star” foi vendido pela soma recorde de 71 milhões de dólares. O diamante com 132,2 quilates foi encontrado na África do Sul. A lapidação levou dois anos, e produziu o maior diamante rosa do mundo, com quase 60 quilates. A "estrela rosa" foi leiloada uma primeira vez em 2013. Mas o comprador não conseguiu reunir a soma de 83 milhões de dólares e teve que devolver a pedra.

Economia

Diamonds are a girl's best friend

A atriz Elizabeth Taylor era famosa pelo seu amor aos diamantes. Quando morreu, em 2011, as suas jóias foram leiloadas por quase 140 milhões de dólares. Durante muito tempo, os negociantes de pedras preciosas queixaram-se da queda de preços. Mas desde o ano passado, os preços recomeçaram a subir e a procura pelo diamante bruto cresce, alimentando a esperança de muitos prospectores africanos.

Economia

Nem luxo, nem fascínio

Os prospectores no Zimbabué cavam com pás e com as próprias mãos à procura das pedras preciosas, na esperança de encontrarem um diamante que os redima da pobreza. Mas regra geral os grandes diamantes são encontrados em minas de exploração industrial, onde as máquinas têm a capacidade de peneirar grandes quantidades de minério.

Mais da mesma editoria