A Unasul agoniza

Com a saída da Colômbia, a primeira tentativa de uma real integração sul-americana caminha para o fracasso. Uma chance perdida, avaliam especialistas europeus: região tem potencial para repetir modelo da UE.

Apenas três dias após a posse, o governo Iván Duque anunciou a saída da Colômbia da União das Nações Sul-Americanas (Unasul). O argumento: a organização teria se transformado numa "cúmplice da ditadura venezuelana".

América Latina | 04.12.2014

A decisão não surpreendeu. Já em abril, a Colômbia, ainda sob o governo Juan Manuel Santos, havia suspendido sua participação nas instâncias da Unasul, uma decisão acompanhada por Brasil, Argentina, Chile, Paraguai e Peru.

Isso, na prática, já havia deixado o organismo com apenas seis membros funcionais: Bolívia, Equador, Guiana, Suriname, Uruguai e Venezuela. A Unasul, além disso, não tem secretário-geral há algum tempo. Desde a saída do colombiano Ernesto Samper, em janeiro de 2017, o posto está vago.

O projeto Unasul não acaba com uma implosão, mas com uma agonia lenta.

A Unasul foi lançada como um projeto de integração sul-americano em 2008. Iniciada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a nova associação pretendia seguir "o modelo da UE", estabelecer uma comunidade de segurança na América do Sul e promover a integração econômica.

Segundo Günther Maihold, do instituto berlinense de estudos de política externa SWP, a criação da Unasul aconteceu numa fase "em que especialmente os Estados Unidos praticavam uma política de expansão com acordos de segurança, principalmente com a Colômbia, mas também com outros países como o Paraguai"

Não faltaram objetivos ambiciosos. O plano era ter uma moeda comum chamada "Sucre" e também uma cidadania sul-americana com os passaportes correspondentes. Para 2025, o objetivo era alcançar o grau de integração vigente na União Europeia (UE).

Em 2008, o subcontinente daria um salto no desenvolvimento econômico e social graças a novos esforços de integração, assegurou Lula em 2008. Mas esse salto nunca aconteceu.

"A Unasul chegou ao fim, perdeu sua base política", opina Maihold. "O Brasil, atualmente, não tem ambições na área de segurança que o levem a tomar medidas de garantia para outros países, já que está concentrado em seus próprios problemas", completa o pesquisador.

Outro fator é a perda de unidade ideológica entre forças anteriormente unidas da região como Equador, Venezuela, Bolívia, Argentina e Brasil. "A Unasul é, portanto, um elemento do passado, estreitamente vinculado à onda de governos de esquerda da região", constata Maihold.

"Este parece ser o fim da Unasul", diz também Gerhard Dilger, chefe do escritório regional da Fundação Rosa Luxemburgo em São Paulo.

Reunião da Unasul em 2012: só Maduro e Morales seguem no poder

As forças que levaram à criação da Unasul foram os governos de esquerda de Lula no Brasil, Hugo Chávez na Venezuela, Cristina Kirchner na Argentina, Rafael Corrêa no Equador e até de Michelle Bachelet, no Chile. A Unasul contribuiu para "desativar muitas crises" e deu um impulso para "pelo menos pensar numa política de defesa comum", explica Dilger. "Mas, nos últimos anos, tudo erodiu", avalia.

Para muitos, a América do Sul teria condições de desenvolver uma comunidade multilateral baseada no modelo da UE. Os países partilham, por exemplo, a experiência de períodos históricos similares: conquista, colonização e independência. E desenvolveram uma identidade comum baseada nessas experiências históricas similares.

A região é dominada por dois idiomas: espanhol e português do Brasil. Comparado à diversidade linguística babilônica da EU, com seus 24 idiomas oficiais, esse é um aspecto relativamente cômodo. Não por acaso, a ideia de uma América do Sul unida já era amplamente difundida e surgiu na forma de uma "Pátria Grande" na luta pela independência e sua refundação pelos heróis sul-americanos da autodeterminação Simón Bolívar e José de San Martín, no século 19.

Então qual é o problema?

"A América Latina tem uma longa tradição de um multilateralismo amplamente fracassado e se orienta de forma limitada no regionalismo. Essa orientação encontra seus limites exatamente nos momentos em que se trata de restringir a soberania nacional", afirma Maihold.

Segundo ele, as intenções de integração sempre tiveram mais um caráter de coordenação de políticas e não o de uma integração real no sentido da fusão das soberanias de diferentes atores.

Sede da Unasul em Quito, no Equador: projeto de 46 milhões de dólares

Especialmente no que diz respeito à segurança, a desconfiança e o instinto prevalecem em muitos países sul-americanos para preservar a soberania nacional em qualquer circunstância. Nessas condições, destaca Maihold, somente seria concebível um "organismo com funções de emergência". Ou seja, um órgão que atue em situações humanitárias e políticas excepcionais.

Para Gerhard Dilger, há um claro vencedor da crise da Unasul: "A direita conservadora na América do Sul e, geopoliticamente, o governo dos Estados Unidos", declara. Os perdedores, segundo Dilger, são todos aqueles que trabalharam por uma América do Sul mais independente e segura.

Para Maihold, os países da região sempre consideraram a integração e a cooperação como uma tentativa de preservar e de recuperar a soberania em relação aos EUA, sobre seu grande vizinho do norte. O especialista considera justamente essa fixação com os americanos a razão para a agonia da organização.

Segundo Maihold, os países sul-americanos ainda não reconheceram seu próprio valor agregado no âmbito da cooperação regional. Enquanto essa fixação se mantiver e as nações sul-americanas não entenderem seu próprio espaço como uma região de crescimento, afirma, as tentativas de cooperação continuarão sempre superficiais. A Unasul, pode-se dizer, é o primeiro ensaio falido de uma integração sul-americana – e certamente não será a última.

Até que se inicie um novo impulso, será apenas preciso encontrar um novo inquilino para a pomposa sede da Unasul em Quito. A construção foi inaugurada em 2014 e custou 46 milhões de dólares. Mas o presidente equatoriano, Lenín Moreno, já tem uma proposta: o edifício deveria ser transformado numa universidade voltada para estudos sobre integração.

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

O mês de agosto em imagens

Último adeus

Aretha Franklin, considerada a "rainha do soul" e um dos maiores ícones da música de todos os tempos, foi velada em Detroit. O velório contou com a presença de personalidades da política, como Bill e Hillary Clinton, e do meio artístico, como Ariana Grande e Stevie Wonders, além de ativistas dos direitos civis Jesse Jackson e Al Sharpton. A cantora morreu em 16 de agosto, aos 76 anos. (31/08)

O mês de agosto em imagens

Berlim marcha contra atos xenófobos em Chemnitz

Cerca de cinco mil pessoas saíram às ruas no bairro de Neukölln, em Berlim, em protesto contra as manifestações anti-imigração realizadas por grupos de extrema direita na cidade de Chemnitz, no leste da Alemanha, que levaram a atos violentos contra estrangeiros. Na capital alemã, o protesto condenando o ódio contra migrantes foi organizado por grupos de esquerda e ativistas. (30/08)

O mês de agosto em imagens

A estátua de Erdogan em Wiesbaden

A cidade alemã de Wiesbaden removeu uma estátua de quatro metros de altura do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, depois de sua instalação, dois dias antes, ter gerado um conflito entre apoiadores e críticos do líder. A estátua fazia parte da Bienal de Arte Contemporânea, que a defendeu como exemplo de liberdade de expressão. A obra, contudo, não foi bem recebida pelos moradores. (29/08)

O mês de agosto em imagens

Temer envia Forças Armadas a Roraima

O presidente Michel Temer autorizou o uso das Forças Armadas para reforçar a segurança em Roraima, em meio a uma crise migratória de venezuelanos na fronteira do estado brasileiro com o país vizinho. Segundo ele, a medida visa "oferecer segurança aos cidadãos brasileiros e aos imigrantes venezuelanos que fogem de seu país em busca de refúgio no Brasil". (28/08)

O mês de agosto em imagens

Protestos de extrema direita em Chemnitz

A morte de um cidadão alemão, supostamente por um sírio e um iraquiano, levou vários grupos de extrema direita a convocarem manifestações em Chemnitz, no leste da Alemanha. Algumas pessoas teriam perseguido e atacado estrangeiros, ato que foi condenado pelo governo alemão. O segundo dia de protestos foi marcado por confrontos entre manifestantes de direita e esquerda, deixando feridos. (27/08)

O mês de agosto em imagens

Senador John McCain morre aos 81 anos

O senador, herói da guerra do Vietnã e ex-candidato à presidência dos EUA John McCain morreu aos 81 anos após perder sua batalha contra o câncer. Figura proeminente do Partido Republicano, McCain era senador desde 1987. Nos últimos dois anos, vinha se destacando como crítico de Donald Trump. Sua morte foi lamentada por figuras como o ex-presidente Obama e representantes da União Europeia. (26/08)

O mês de agosto em imagens

Na Irlanda, papa expressa "vergonha” por casos de abuso

Em seu primeiro dia de viagem à Irlanda, o papa Francisco reconheceu o fracasso da Igreja para enfrentar adequadamente o que chamou de "crimes repugnantes” de membros do clero local. Francisco também se reuniu com oito vítimas. Desde 2002, cerca de 14.500 pessoas se declararam vítimas de abusos sexuais cometidos por padres na Irlanda. Esta é a primeira viagem de um papa ao país em 39 anos.(25/08)

O mês de agosto em imagens

Incêndio florestal nos arredores de Berlim

Um incêndio florestal levou à evacuação de três vilarejos próximos a Berlim, após as chamas cobrirem uma área equivalente a 400 campos de futebol. Mais de 500 pessoas tiveram de deixar suas casas em razão do rápido avanço do fogo. A polícia disse que os esforços foram prejudicados pelo fato de antigas munições da 2ª Guerra Mundial estarem enterradas na floresta. Nenhuma casa foi atingida. (24/08)

O mês de agosto em imagens

EUA x China: disputa comercial se acirra

Os EUA impuseram tarifas de 25% sobre o equivalente a US$ 16 bilhões em importações chinesas, acirrando a disputa comercial entre os dois países. A segunda rodada de medidas punitivas por parte de Washington fez com que Pequim respondesse novamente na mesma moeda: o país vai sobretaxar importações americanas de itens que vão desde o petróleo bruto a produtos de aço e tecnologia médica. (23/08)

O mês de agosto em imagens

Ex-advogado de Trump admite crime eleitoral

Michael Cohen, ex-advogado pessoal do presidente Donald Trump, confessou ser culpado em oito acusações, como a de ter comprado o silêncio de duas mulheres, a pedido do então candidato à presidência, "com a intenção de influenciar as eleições" de 2016. A declaração implica que Trump pode estar envolvido em crime eleitoral. Cohen teria ainda informações sobre a ingerência russa nas eleições. (22/08)

O mês de agosto em imagens

Extradição de ex-guarda de campo de concentração

As autoridades americanas deportaram o ex-guarda de campo de concentração Jakiv Palij, de 95 anos, último criminoso de guerra nazista investigado nos EUA. Ele conseguiu entrar em território americano mentindo às autoridades e viveu por mais de quatro décadas em Nova York até ser descoberto. Palij desembarcou num aeroporto de Düsseldorf, de onde foi levado para um asilo de idosos. (21/08)

O mês de agosto em imagens

Peregrinação a Meca

Mais de 2 milhões de peregrinos se dirigiram ao monte Arafat, ao leste da Meca, na Arábia Saudita, para participarem do ritual considerado como o momento culminante do "hajj", a peregrinação à cidade sagrada que é considerado um dos cinco pilares do Islã. (20/08)

O mês de agosto em imagens

Governo afegão oferece cessar-fogo ao Talibã

O presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, anunciou um cessar-fogo de três meses com os talibãs a partir do dia 20 de agosto com a condição de que o grupo terrorista faça o mesmo. A medida valerá até 20 de novembro, se for aceita. O governo americano isse que está pronto para apoiar e facilitar as negociações diretas de paz entre o governo afegão e o Talibã. (19/08)

O mês de agosto em imagens

Merkel e Putin se reúnem na Alemanha

A chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, se encontraram pela segunda nos últimos três meses. A pauta do encontro: os conflitos na Síria e na Ucrânia e a expansão do controverso gasoduto Nord Stream 2. O encontro entre os dois líderes ocorreu no Palácio de Meseberg, a 60 quilômetros de Berlim. (18/08)

O mês de agosto em imagens

Inundações e mortes na Índia

As inundações no estado indiano de Kerala, as piores nos últimos 100 anos, causaram a morte de pelo menos 324 pessoas em três meses e obrigaram dezenas de milhares de pessoas a se transferirem a acampamentos de socorro, segundo um balanço divulgado pelas autoridades. As chuvas começaram a devastar o estado no fim de maio com o início da temporada de monções. (17/08)

O mês de agosto em imagens

Morre Aretha Franklin, "rainha do soul"

Morreu, aos 76 anos, a cantora Aretha Franklin, considerada a "rainha do soul" e um dos maiores nomes da música americana de todos os tempos. A artista lutava contra um câncer no pâncreas, e passou seus últimos momentos em sua casa em Detroit. Premiada com 18 Grammys e 25 discos de ouro ao longo da carreira, Aretha Franklin foi a primeira mulher a entrar para o Hall da Fama do Rock. (16/08)

O mês de agosto em imagens

Alemanha abre caminho para terceiro gênero

O governo alemão aprovou um projeto de lei para introduzir um terceiro gênero no registro de nascimento, levando em consideração pessoas cujo sexo não está definido no momento em que nascem, os chamados intersexuais. A proposta segue determinação do Tribunal Constitucional.O porta-voz do governo, Steffen Seibert, indicou que se espera que o projeto de lei entre em vigor no início de 2019. (15/08)

O mês de agosto em imagens

Viaduto desaba na Itália

Um trecho de um viaduto localizado em Gênova, no norte da Itália, desabou deixando dezenas de mortos e vários feridos. Ao menos 26 pessoas morreram. O desastre ocorreu durante fortes chuvas. A suspeita é de que um problema estrutural tenha provocado o desabamento. Uma testemunha que viu vários carros caindo junto com a ponte descreveu o incidente como uma "cena apocalíptica". (14/08)

O mês de agosto em imagens

A lira turca derrete

A Turquia anunciou medidas para conter a forte desvalorização de sua moeda, incluindo a injeção de seis bilhões de dólares no sistema financeiro do país. O impacto do anúncio, no entanto, foi anulado quando o presidente Recep Tayyip Erdogan lançou vários ataques verbais ao governo dos EUA, provocando uma nova desvalorização da lira turca. A moeda já perdeu 40% do valor em 2018. (13/08)

O mês de agosto em imagens

Americanos a caminho do Sol

Um foguete decolou às 3h31 da base de Cabo Canaveral, na Flórida, portando a sonda Parker Solar Probe com o objetivo de chegar mais perto do que nunca do Sol. A nave não tripulada rumará direto para a coroa solar, a camada mais externa da estrela. A missão, classificada pela Nasa como a primeira a "tocar o Sol", visa esclarecer mistérios do astro-rei. (12/08)

O mês de agosto em imagens

Derrota histórica para Monsanto

Um júri da Califórnia condenou a companhia Monsanto a pagar US$ 289 milhões em indenizações a Dewayne Johnson, de 46 anos, que contraiu câncer devido à exposição ao herbicida Roundup, da empresa. Segundo a mídia americana, esta deverá ser a primeira de centenas de ações que a Monsanto terá que enfrentar na Justiça pelos efeitos cancerígenos do glifosato. (11/08)

O mês de agosto em imagens

Greve na Ryanair

A empresa aérea irlandesa Ryanair cancelou cerca de 400 dos seus 2.400 voos em toda Europa devido às greves convocadas por seus pilotos na Alemanha, na Irlanda, na Bélgica, na Suécia e na Holanda. Trata-se do primeiro protesto conjunto dos pilotos na história da companhia, que reivindicam avanços nas negociações que mantêm desde o começo deste ano sobre salários e condições trabalhistas. (10/08)

O mês de agosto em imagens

Senado da Argentina rejeita legalizar o aborto

Depois de um debate de cerca de 16 horas, o Senado da Argentina rejeitou um projeto de lei para legalizar o aborto – tema que provocou fortes divisões entre políticos e na sociedade do país. Em Buenos Aires, milhares de pessoas se concentraram para protestar a favor – com a cor verde como bandeira – e contra a legalização do aborto – de azul. Ativistas lamentaram o resultado da votação. (09/08)

O mês de agosto em imagens

Esposa de Assad diagnosticada com câncer de mama

A esposa de Bashar al-Assad, Asma al-Assad, foi diagnosticada com câncer de mama e iniciou tratamento contra a doença num hospital militar de Damasco, disse a presidência da Síria. Anúncios como esse são incomuns no mundo árabe, onde o câncer é considerado um tabu. Além da mensagem, uma foto de Asma, de 42 anos, com o marido durante o tratamento foi publicada nas redes sociais. (08/08)

O mês de agosto em imagens

Pior incêndio florestal da história da Califórnia

O incêndio florestal que começou há dez dias na região de Mendocino se transformou no pior da história da Califórnia após ter arrasado 117.639 hectares de terra, uma área equivalente ao tamanho de Los Angeles e superior aos 113.800 hectares que foram devastados nos condados de Ventura e Santa Barbara pelo incêndio Thomas, em 2017. (07/08)

O mês de agosto em imagens

Trump reimpõe sanções ao Irã

O presidente dos EUA assinou um decreto reimpondo várias sanções ao Irã, três meses depois de se retirar do acordo nuclear fechado com a nação em 2015. Trump destacou que sua estratégia é elevar ao máximo a pressão econômica sobre o país e ressaltou estar aberto a um acordo mais amplo com o Irã. O presidente iraniano, Hassan Rohani, refutou, porém, a oferta de novas conversações. (06/08)

O mês de agosto em imagens

Queda de avião da 2ª Guerra deixa mortos

Autoridades da Suíça confirmaram que um antigo avião da época da 2ª Guerra Mundial caiu nos Alpes, provocando a morte de todas as pessoas a bordo, sendo três tripulantes e 17 passageiros. O avião, um trimotor Junkers Ju-52 fabricado em 1939, era de propriedade da empresa suíça Ju-Air, que oferece passeios turísticos a bordo dessas antigas aeronaves de fabricação alemã. (05/08)

O mês de agosto em imagens

Atentado em Caracas?

Uma explosão interrompeu uma cerimônia militar comandada por Nicolás Maduro em Caracas, no que o governo classificou como uma tentativa de atentado usando drones contra o presidente venezuelano. Maduro culpou a Colômbia. Não há imagens dos supostos drones. (04/05)

O mês de agosto em imagens

Lucro da Petrobras

A Petrobras anunciou que registrou lucro líquido de 10,072 bilhões de reais no segundo trimestre deste ano. O resultado está bem acima do mesmo período do ano passado, quando a estatal teve lucro de 316 milhões de reais. Esse é o melhor resultado para o período desde o segundo trimestre de 2011. (03/08)

O mês de agosto em imagens

Marcha do Orgulho LGBT em Jerusalém

A Marcha do Orgulho LGBT reuniu milhares de pessoas em Jerusalém. A passeata começou com duas horas de atraso e cercada de um forte dispositivo de segurança, depois dos distúrbios entre um grupo de extrema-direita anti-gay e a polícia. Este ano, o evento colocou o foco na luta da comunidade LGBT para poder gerar filhos com barriga de aluguel. (02/08)

O mês de agosto em imagens

Proibição de véu islâmico na Dinamarca

A proibição do uso de véus integrais islâmicos entrou em vigor na Dinamarca. Aprovada em 31 de maio, a lei proíbe o uso de burca e niqab em espaços públicos, à semelhança do que já aconteceu em outros países europeus, como Áustria, França e Bélgica. Infratores poderão ser punidos. Protestos contra a medida ocorreram em cidades como Copenhague (foto) e Aarhus. (01/08)

Conteúdo relacionado

Siga-nos