Alemanha inaugura maior central de inteligência do mundo

Após atrasos e escândalos, novo prédio do BND é inaugurado por Merkel, que reforça que papel da agência é garantir segurança dos alemães. Complexo levou mais de uma década para ficar pronto e custou 1 bilhão de euros.

A chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, inaugurou nesta sexta-feira (08/02) em Berlim a nova sede do Serviço Federal de Informações (BND), a agência de inteligência externa do país, que, nos últimos anos, esteve envolvida numa série de escândalos.

O prédio, que lembra uma fortaleza, custou 1,1 bilhão de euros e abrigará 4 mil dos 6.500 funcionários da agência. Ele foi construído ao longo de 11 anos, no local de um antigo estádio esportivo da Alemanha Oriental, onde antes o Muro de Berlim cortava a metrópole. Trata-se da maior central de serviço secreto do mundo, cobrindo 10 hectares, o equivalente a 36 campos de futebol.

Apontando o grande número de ameaças globais, do terrorismo aos ciberataques, Merkel agradeceu ao BND por seu trabalho "para que milhões de alemães possam viver em segurança". Desde sua fundação, após a Segunda Guerra Mundial, a agência estava instalada num antigo assentamento nazista fora de Munique.

Sua nova e imponente presença visa sinalizar um papel global mais confiante ocupado pelo país. A maciça estrutura, com fachada de calcário e alumínio, no centro berlinense oferece ao chefe do BND, Bruno Kahl, vista para a Chancelaria Federal, a que o órgão está subordinado.

Para muitos alemães, devido ao passado fascista e totalitário do país, a ideia de um serviço secreto evoca imagens não só de filmes de James Bond, mas também da Gestapo (que serviu ao regime nazista) e da Stasi (da extinta Alemanha Oriental).

Abalado por uma série de escândalos, em especial revelações de Edward Snowden, ex-colaborador da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA), a direção do BND prometeu maior transparência a um público cético. Em meados do ano, ela planeja a abertura de um centro para visitantes, depois de já ter ampliado sua presença online e intensificado as atividades de recrutamento para a nova geração de espiões alemães.

Muitos ficaram chocados com as revelações de Snowden, em 2013, de que o departamento alemão colaborara de perto com os serviços secretos britânico e americano no monitoramento quase integral das comunicações digitais do mundo.

Depois de Merkel ter criticado severamente Washington por grampear seu telefone celular durante anos, a Alemanha foi forçada a admitir que o próprio BND espionara alvos como a presidência francesa, a União Europeia e organizações internacionais de imprensa, assim como a Interpol e a Europol.

A operação em grande escala para construir a nova sede em Berlim igualmente esteve sujeita a atrasos, estouros de orçamento e falhas técnicas. Em 2011, a agência teve de admitir que as plantas para o vasto complexo haviam sido roubadas, embora minimizando os riscos de segurança implicados na perda.

Em 2015, ladrões arrombaram o canteiro de obras da futura sede e roubaram torneiras recém-instaladas, causando inundação e danos consideráveis, no que a mídia apelidou de "escândalo do Watergate".

Assuntos relacionados

Na cerimônia de inauguração, Merkel frisou que, enquanto o Stasi "foi utilizado contra a população", o BND serve ao país e está sujeito às leis e à supervisão parlamentar. "Uma desconfiança saudável é útil, mas ser desconfiado demais é um obstáculo", afirmou a chefe de governo.

Também nesta sexta-feira, o antigo chefe do BND Gerhard Schindler reclamou por a seção de vigilância técnica da central ter permanecido na antiga base, na capital bávara, decisão para a qual não haveria qualquer "razão racional, lógica".

AV/afp/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

O mês de fevereiro em imagens

Bolsonaro apresenta reforma da Previdência ao Congresso

O presidente Jair Bolsonaro apresentou ao Congresso sua proposta para a reforma da Previdência. Acompanhado dos ministros Paulo Guedes (Economia) e Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Bolsonaro entregou o texto da PEC aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. A equipe econômica calcula que a reforma vai permitir economia de 1 trilhão de reais nos próximos dez anos. (20/02)

O mês de fevereiro em imagens

Morre o estilista alemão Karl Lagerfeld

O estilista alemão Karl Lagerfeld, um dos maiores nomes da moda mundial, morreu aos 85 anos, anunciou em Paris a maison Chanel, onde ele era o diretor artístico desde janeiro de 1983. Conhecido no meio como Kaiser (imperador), Lagerfeld estava à frente de três marcas: Chanel, Fendi e a a grife que leva o seu nome. Ele era, porém, principalmente associado à Chanel. (19/02)

O mês de fevereiro em imagens

Primeira baixa no governo Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro demitiu o ministro Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Presidência. Essa foi a primeira baixa do novo governo. Um dos principais articuladores da campanha que levou Bolsonaro ao poder, Bebianno estava no centro de uma crise instalada em Brasília em meio às denúncias de que o PSL, partido que ele presidiu, teria usado candidaturas laranjas. (18/02)

O mês de fevereiro em imagens

Conferência sobre segurança se encerra em Munique

Marcada pelas incertezas em torno da manutenção da ordem mundial, Conferência de Segurança de Munique se encerra na capital bávara. Um dos destaques foi o discurso da chanceler federal alemã, Angela Merkel, em defesa do multilateralismo. A conferência sobre segurança é o maior evento de debates sobre o tema no mundo e ocorre desde 1963 na Baviera. (17/02)

O mês de fevereiro em imagens

"Synonymes" é melhor filme na Berlinale

Júri do 69° Festival de Cinema de Berlim premiou o longa-metragem "Synonymes", do diretor israelense Nadav Lapid, com o Urso de Ouro, como melhor filme da Berlinale. Filme conta a história de jovem israelense que tenta recomeçar sua vida em Paris. Dieter Kosslick, que dirigiu o Festival por 18 temporadas, despede-se este ano da Berlinale, cujo lema em 2019 foi "O privado é político". (16/02)

O mês de fevereiro em imagens

"Marighella" estreia na Berlinale com protestos

O primeiro filme dirigido pelo ator Wagner Moura, Marighella, estreou na mostra principal do Festival de Cinema de Berlim. A obra retrata a história de Carlos Marighella, guerrilheiro baiano assassinado pela ditadura militar em 1969. A estreia foi marcada por protestos. No tapete vermelho, Wagner Moura entrou com uma placa em homenagem à vereadora Marielle Franco. (15/02)

O mês de fevereiro em imagens

Airbus anuncia fim da produção do superjumbo A380

O grupo europeu Airbus anunciou que deixará de fabricar em 2021 o superjumbro A380, a maior aeronave de passageiros do mundo. O gigante entusiasmou viajantes, mas não conseguiu conquistar companhias aéreas suficientes para justificar seus enormes custos. A Airbus anunciou a decisão após o seu principal cliente do A380, a Emirates, decidir reduzir suas encomendas do avião. (14/02)

O mês de fevereiro em imagens

Bolsonaro recebe alta e deixa hospital

O presidente Jair Bolsonaro recebeu alta e deixou o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde estava internado há 17 dias. "Finalmente deixamos em definitivo o risco de morte", escreveu o presidente no Twitter. O presidente foi internado em 27 de janeiro, véspera da cirurgia para retirada de bolsa de colostomia e reconstrução do trânsito intestinal. (13/02)

O mês de fevereiro em imagens

Macedônia do Norte

A Macedônia passou a se chamar oficialmente Macedônia do Norte, depois de entrar em vigor alterações na Constituição do país que colocaram fim ao embate com a Grécia. O pequeno país reivindica o nome Macedônia desde sua independência em 1991, após o fim da Iugoslávia. Atenas era contra, pois temia que a nação vizinha exigisse o território de mesmo nome localizado no norte grego.(12/02)

O mês de fevereiro em imagens

Jornalista Ricardo Boechat morre em acidente de helicóptero

O jornalista Ricardo Boechat, de 66 anos, morreu após a queda de um helicóptero, na zona oeste de São Paulo. Além de Boechat, morreu o piloto da aeronave, que tentou fazer um pouso de emergência e acabou atingindo um caminhão. Veterano com mais de quatro décadas de jornalismo, Boechat era atualmente âncora do Jornal da Band e do programa matinal da rádio BandNews FM. (11/02).

O mês de fevereiro em imagens

Direita protesta na Espanha

Dezenas de milhares protestaram em Madri a favor da unidade espanhola e contra o governo socialista do primeiro-ministro Pedro Sánchez, acusando-o de fazer concessões demais a separatistas da Catalunha. A manifestação, a maior enfrentada por Sãnchez, foi convocada por partidos de direita e extrema direita. (10/02)

O mês de fevereiro em imagens

O povo nas ruas em Roma

Centenas de milhares de manifestantes exigiram investimentos públicos e privados em grande escala, assim como reformas mais ambiciosas, na maior passeata do gênero na Itália, em quatro anos, organizada pelos sindicatos, sob o slogan "Um futuro para o trabalho" . Críticas também à planejada renda básica para os italianos mais pobres, como um esvaziamento da luta contra pobreza e desemprego. (09/02)

O mês de fevereiro em imagens

Incêndio no centro de treinamento do Flamengo

Um incêndio no centro de treinamento do Flamengo, no Rio de Janeiro, deixou dez mortos e três feridos, dois deles em estado grave. Nas instalações atingidas pelo fogo, conhecidas por Ninho do Urubu, dormiam atletas das categorias de base, com idades entre 14 e 17 anos. A perícia trabalha com a hipótese de que o fogo foi causado por um curto-circuito em um dos aparelhos de ar-condicionado. (08/02)

O mês de fevereiro em imagens

Alemanha contra o Facebook

O órgão antitruste da Alemanha quer restringir a coleta de dados pelo Facebook, argumentando que essa prática indiscriminada contribuiu para uma posição dominante de mercado da empresa americana no país. O órgão determinou que unificação de dados recolhidos em diferentes plataformas, como Instagram, Whatsapp e sites externos, só pode ocorrer com consentimento expresso do usuário. (07/02)

O mês de fevereiro em imagens

Nova condenação de Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro na ação penal sobre as reformas realizadas num sítio em Atibaia, no interior de São Paulo. Esta é a segunda condenação do petista na Lava Jato. Ele ainda é réu em outros sete processos. (06/02)

O mês de fevereiro em imagens

Rússia anuncia novos mísseis

Moscou planeja desenvolver antes de 2021 uma versão terrestre dos mísseis utilizados pela sua Marinha, depois da saída dos Estados Unidos do Tratado INF, sobre sistemas de mísseis terrestres de alcance intermediário. O ministro russo da Defesa disse que o país desenvolverá o armamento em resposta à decisão dos EUA. (05/02)

O mês de fevereiro em imagens

Visita histórica

O papa Francisco iniciou em Abu Dhabi, a capital dos Emirados Árabes Unidos, a primeira viagem de um líder da Igreja Católica à Península Arábica, o berço do islã. Em seu primeiro discurso na região, o pontífice mencionou o conflito no Iêmen e em outros países do Oriente Médio e pediu o fim da violência justificada pela religião. (04/02)

O mês de fevereiro em imagens

Papa nos Emirados Árabes Unidos

O papa Francisco chegou a Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, para uma visita histórica – é a primeira de um pontífice à região. Cerca de 9% da população desse país árabe são cristãos que vivem como trabalhadores imigrantes. Apesar de algumas limitações, eles dispõem de relativa liberdade e direitos. Segundo analistas, a visita de Francisco visa fortalecer o cristianismo na região. (03/02)

O mês de fevereiro em imagens

Os novos presidentes do Congresso

Após um intenso processo de renovação nas últimas eleições, a Câmara e o Senado empossaram seus novos parlamentares e elegeram seus presidentes. Na Câmara, o atual presidente, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi reeleito sem surpresas. Já no Senado, uma votação marcada por confusões acabou dando a vitória, no dia seguinte, ao senador Davi Alcolumbre (DEM-AP, na foto). (01 e 02/02).

O mês de fevereiro em imagens

EUA e Rússia deixam acordo de desarmamento

A Casa Branca anunciou que os EUA vão deixar o Tratado INF, assinado em 1987 com a então União Soviética. A decisão será implementada em seis meses, a não ser que a Rússia "volte a respeitar o tratado" nesse período, disse a Casa Branca. Especialistas temem uma nova corrida armamentista se o anúncio se concretizar. No dia seguinte, a Rússia também anunciou sua saída do pacto. (01 e 02/02)