Aos cem anos, alemã quer estrear na política

Ex-professora de educação física luta há muito tempo pela reabertura da piscina pública de sua cidade, no sul da Alemanha. Cansada de não obter resultados, decide se lançar na política.

Logo após completar cem anos, a ex-professora de educação física Lisel Heise decidiu se candidatar a uma vaga no conselho municipal de sua cidadezinha natal, Kirchheimbolanden, no sudoeste da Alemanha, com quase 8 mil habitantes.

Nascida logo após a Primeira Guerra Mundial, Heise está canalizando sua paixão para a política local – em particular, para sua campanha a favor da reabertura da piscina pública ao ar livre da cidade.

Lisel decidiu se candidatar ao ser consultada pelo grupo popular local Wir für Kibo (algo como "nós por Kirchheimbolanden"), que faz uma campanha por maior transparência e envolvimento público na política regional.

Concorrendo à eleição, ela espera ter sua voz finalmente ouvida depois de anos se sentindo ignorada pelas autoridades locais. Ela costuma citar a maneira como o microfone era tirado de sua mão em reuniões públicas, sempre que mencionava o assunto da piscina.

A aposentada lamenta a perda da piscina – fechada em 2011 – afirmando que era um "paraíso para as crianças", que a cidade nunca deveria ter deixado fechar. "Eu cresci lá", diz. "Eu sei, por experiência própria, como ela é importante, tanto para o espírito, quanto para o corpo."

"Tenho tantos ex-alunos, e eles sempre têm a mesma queixa. Por que eles estão fechando as piscinas ao ar livre?", questiona. "O mais importante é que as crianças permaneçam saudáveis quando são jovens. Se o corpo não for saudável e funcionar adequadamente, a mente não funciona adequadamente", argumenta.

Pró-europeia e ambientalista

Quanto a seus pontos de vista políticos mais amplos, ela é pró-europeia – acha que o Brexit nunca deveria ocorrer – e saúda os esforços dos escolares na campanha contra as mudanças climáticas. Mas teme que a sociedade esteja emburrecendo.

"Basta ligar a televisão. Durante o dia, só tem blá blá blá. As coisas que são realmente interessantes, politicamente interessantes, só passam à noite, quando os trabalhadores estão dormindo. Como resultado, eles não são devidamente informados", avalia a idosa.

A novata na política tem pontos de vista pró-europeus: O Brexit jamais precisa se tornar realidade

Thomas Bock, que lidera a iniciativa Wir für Kibo, espera que a popularidade de Lisel possa ajudar o grupo a ganhar mais um assento, superando os 24 lugares que o grupo já detém no conselho municipal da cidade.

"Ela é muito conhecida em Kirchheimbolanden", diz Bock. "Quase todo mundo que tem mais de 40 anos já teve aula com ela na escola. É possível que ela tenha um resultado bem melhor do que qualquer outra pessoa."

"Ela ainda é muito envolvida com a escola. Apesar de não ser professora há 40 anos. Ela participa sempre que há algum tipo de evento na escola."

Nos passos do pai

Com sua candidatura, Lisel segue os passos do pai, que era membro do conselho antes da Segunda Guerra Mundial. Ele foi preso por quatro semanas depois de criticar a destruição de sinagogas pelo regime nazista.

"A ideia real de se candidatar veio do filho de Lisel", ressalta Bock. "Ele disse: 'Pergunte à minha mãe, ela ficaria feliz em fazer alguma coisa, mas é muito cautelosa.' Então nós perguntamos a ela, e ela topou."

Lisel é tão popular na cidade que centenas de antigos e atuais alunos foram à casa dela para cantar parabéns em seu centésimo aniversário. "Ela se dá muito bem com as pessoas", acrescenta Bock. "É boa em lidar com as pessoas, e geralmente é muito querida. Podemos usar essa popularidade nas eleições, e agora ela será ouvida."

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Vovós boxeadoras de Johanesburgo

Idosas destemidas

Boxing Gogos é o nome de um clube em Cosmo City, um subúrbio da metrópole sul-africana de Joanesburgo. Aqui é onde as vovós boxeadoras se encontram. Gladys Ngwenya (77 anos) e Constance Ngubane (79) adoram a atividade e nunca perdem um treino.

Vovós boxeadoras de Johanesburgo

Famosas na cidade

Cerca de 80 mulheres treinam no clube, que está ficando cada vez mais famoso. O treinador Claude Maphosa, que fundou o Boxing Gogos há quatro anos, já pensa em oferecer outras opções ao público sênior de Cosmo City e arredores.

Vovós boxeadoras de Johanesburgo

Luta contra o envelhecimento

Boxe, ginástica e musculação: tudo isso faz parte do treino de uma hora e meia em Cosmo City. Desde que as mulheres praticam boxe, elas pararam de se queixar dos problemas causados pela idade. Seja diabetes, hipertensão ou dor nos ossos, elas garantem que a prática regular de exercícios ajuda a saúde delas.

Vovós boxeadoras de Johanesburgo

"Adoro isso"

Ntombizodwa Twala, de 85 anos, diz que se sente forte e disposta desde que pratica boxe. Em uma entrevista à emissora Al Jazeera, ela contou que é a paixão dela. Ela continua treinando, apesar dos temores dos filhos e netos, de que ela possa se machucar.

Vovós boxeadoras de Johanesburgo

Nada de velha e frágil!

O treinador Maphosa está entusiasmado com o trabalho com as mulheres. "Nunca treinei alguém tão velho antes. Sempre pensei que as idosas fossem frágeis, mas há muito potencial nelas", disse ele à emissora BBC.

Vovós boxeadoras de Johanesburgo

Alegria de viver e segurança

As velhinhas adquirem não só condicionamento físico, mas também aprendem a se defender. Se alguém me atacar, vou poder bater forte nele", advertiu por exemplo Mable Makhosi, de 67 anos, em entrevista à emissora BBC.

Vovós boxeadoras de Johanesburgo

Boxe para a autoconfiança

O treinamento com boxe não só ajuda no fortalecimento dos músculos, como também reforça a autoconfiança das idosas. Não é de admirar que elas queiram continuar praticando boxe o tempo que puderem.

Siga-nos