Bayer começa a sentir o peso da Monsanto

Condenada a indenização por pesticida potencialmente cancerígeno, companhia americana está exposta a milhares de ações similares. Para a empresa alemã há perigo iminente de danos para seus cofres, cotações e reputação.

Há pelo menos duas narrativas conflitantes sobre o casamento da Bayer com a Monsanto. Uma promete grandes chances, boas perspectivas e balancetes fantásticos graças à megafusão.

"A aquisição da Monsanto é um passo muito importante na evolução da Bayer", declarou o presidente da empresa alemã, Werner Baumann, aos acionistas na assembleia geral de maio, logo após a conclusão da transação. Diante de uma população mundial crescente e cada vez mais idosa, este seria um passo consequente e correto: "Muitos dos desafios mais urgentes de nosso tempo se apresentam nos campos da saúde e alimentação", afirmou.

A outra narrativa trata dos riscos de incorporar a Monsanto. Esta é mais longa, incluindo, por exemplo, a questão de se o atual curso da agricultura industrial é sustentável, e se continuará sendo trilhado no futuro. Atualmente, porém, a questão é sobretudo um controverso pesticida chamado Roundup, que contém glifosato, substância sob suspeita de ser cancerígena.

Ninguém menos do que a Organização Mundial da Saúde (OMS) concluiu que o glifosato "provavelmente" causa câncer. Juízes americanos estão se orientando por esse ponto de vista: um tribunal de San Francisco acaba de condenar a Monsanto a pagar ao ex-jardineiro Dewayne Johnson uma indenização de 289 milhões de dólares, por não ter advertido devidamente sobre os ricos do emprego do Roundup.

A multinacional americana já recorreu da sentença. Ainda assim, na bolsa de valores os investidores estão fugindo em massa da Bayer, livrando-se o mais rápido possível de suas ações. Nesta segunda-feira (13/08), a cotação dos títulos dela caiu 11,2% em Frankfurt – uma perda fora do comum num só dia para uma empresa do índice DAX.

Presidente da Bayer Werner Baumann: poucos motivos para sorrir?

"É um crash, porque não se esperava uma pena dessa ordem de grandeza", comenta o corretor Oliver Roth, do grupo financeiro Oddo Seydler. "Agora estamos vendo que os riscos são maiores do que se escutava antes, pelo menos da parte da diretoria da Bayer."

Do ponto de vista econômico, é possível também estimar o risco de outra maneira: no último ano fiscal, a Monsanto teve um quarto de seu faturamento no setor de Agricultural Productivity: 3,7 bilhões de dólares basicamente graças às vendas de pesticidas contendo glifosato.

Esse é o primeiro processo nos Estados Unidos sobre o potencial cancerígeno do glifosato. Mas não será, nem de longe, o último: a Monsanto se encontra diante de mais de 5 mil ações semelhantes. "A coisa tem sempre um certo 'efeito arrastão'. Possivelmente muitos ainda vão se associar a eventuais queixas coletivas", prevê Uwe Treckmann, analista de setores do Commerzbank.

Do ponto de vista da Bayer e Monsanto, ainda é cedo demais para pessimismo. Pois a Monsanto partirá para a próxima instância. Nos EUA não é inusual quantias punitivas serem significativamente reduzidas em processos subsequentes. Por vezes os juízes da instância superior até anulam as sentenças.

Pesticida Roundup é apenas um dos produtos controversos da Monsanto

Segundo analistas da Barclays consultados pela agência de notícias Reuters, uma "dor de cabeça litigiosa" aguarda a Bayer. "Embora o recurso seja certo e possa até mesmo provavelmente resultar em a pena ser reduzida a um mínimo – se não anulada totalmente –, é bem provável que um grande número de casos pendentes agora vá se multiplicar."

Assuntos relacionados

O analista Michael Leacock, da investidora Mainfirst, acredita que o veredicto ainda deverá pesar um bom tempo sobre as ações, devido à insegurança. O fato não é de espantar, pois, caso Monsanto e Bayer realmente recebam penas nessas dimensões, logo se chegará à casa das centenas de bilhões de dólares, coisa que nenhuma empresa é capaz de sobreviver por meios próprios.

No entanto, a maioria dos observadores não acredita que a situação chegue a tal extremo, já que são muitos os postos de trabalho em jogo, também do lado americano. Só a Monsanto emprega mais de 23 mil funcionários.

Supostamente, a fusão entre as duas multinacionais deveria unir os pontos fortes de ambas, e naturalmente também criar sinergias. A Bayer calcula em quase 1,4 bilhão de dólares por ano os cortes de gastos decorrentes.

Fato é que, com a aquisição, a firma de Leverkusen se transformou na líder agroquímica mundial, sobretudo no setor de sementes. A transação já tem lugar assegurado nos livros de história: com um volume de 63 bilhões de dólares, ela é a maior incorporação de uma firma estrangeira por uma alemã já ocorrida.

Dewayne Johnson atribui seu câncer a anos trabalhando com pesticida da Monsanto. Juiz concordou

Por outro lado, a compra poderá acarretar profundos arranhões na reputação da Bayer. Embora no decorrer da fusão o nome Monsanto vá desaparecer, permanece aquilo que ele significa para muitos na Alemanha. Além do glifosato possivelmente cancerígeno, a multinacional também fatura alto com plantas transgênicas, veementemente rejeitadas por boa parte dos consumidores alemães.

Assim o risco para a reputação cresceu fortemente em seguida à incorporação, como se pode ver pela repercussão da sentença de São Francisco. "O nome que agora está associado a tudo isso é o da Bayer" diz Treckmann, do Commerzbank. "É o 'show de horror da Monsanto' que desaba como uma onda sobre o pessoal de Leverkusen. Eles agora vão ter que lidar com isso."

O ministro francês do Meio Ambiente, Nicolas Hulot, encontrou palavras bem mais drásticas. "É o começo do fim da arrogância dessa maldita dupla Monsanto-Bayer", disse em entrevista ao jornal Libération. A decisão jurídica, afirma, tornou visível o objetivo dissimulado do conglomerado americano: "Sangrar os recursos alimentares do planeta".

____________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | 
App | Instagram | Newsletter

O mês de agosto em imagens

Último adeus

Aretha Franklin, considerada a "rainha do soul" e um dos maiores ícones da música de todos os tempos, foi velada em Detroit. O velório contou com a presença de personalidades da política, como Bill e Hillary Clinton, e do meio artístico, como Ariana Grande e Stevie Wonders, além de ativistas dos direitos civis Jesse Jackson e Al Sharpton. A cantora morreu em 16 de agosto, aos 76 anos. (31/08)

O mês de agosto em imagens

Berlim marcha contra atos xenófobos em Chemnitz

Cerca de cinco mil pessoas saíram às ruas no bairro de Neukölln, em Berlim, em protesto contra as manifestações anti-imigração realizadas por grupos de extrema direita na cidade de Chemnitz, no leste da Alemanha, que levaram a atos violentos contra estrangeiros. Na capital alemã, o protesto condenando o ódio contra migrantes foi organizado por grupos de esquerda e ativistas. (30/08)

O mês de agosto em imagens

A estátua de Erdogan em Wiesbaden

A cidade alemã de Wiesbaden removeu uma estátua de quatro metros de altura do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, depois de sua instalação, dois dias antes, ter gerado um conflito entre apoiadores e críticos do líder. A estátua fazia parte da Bienal de Arte Contemporânea, que a defendeu como exemplo de liberdade de expressão. A obra, contudo, não foi bem recebida pelos moradores. (29/08)

O mês de agosto em imagens

Temer envia Forças Armadas a Roraima

O presidente Michel Temer autorizou o uso das Forças Armadas para reforçar a segurança em Roraima, em meio a uma crise migratória de venezuelanos na fronteira do estado brasileiro com o país vizinho. Segundo ele, a medida visa "oferecer segurança aos cidadãos brasileiros e aos imigrantes venezuelanos que fogem de seu país em busca de refúgio no Brasil". (28/08)

O mês de agosto em imagens

Protestos de extrema direita em Chemnitz

A morte de um cidadão alemão, supostamente por um sírio e um iraquiano, levou vários grupos de extrema direita a convocarem manifestações em Chemnitz, no leste da Alemanha. Algumas pessoas teriam perseguido e atacado estrangeiros, ato que foi condenado pelo governo alemão. O segundo dia de protestos foi marcado por confrontos entre manifestantes de direita e esquerda, deixando feridos. (27/08)

O mês de agosto em imagens

Senador John McCain morre aos 81 anos

O senador, herói da guerra do Vietnã e ex-candidato à presidência dos EUA John McCain morreu aos 81 anos após perder sua batalha contra o câncer. Figura proeminente do Partido Republicano, McCain era senador desde 1987. Nos últimos dois anos, vinha se destacando como crítico de Donald Trump. Sua morte foi lamentada por figuras como o ex-presidente Obama e representantes da União Europeia. (26/08)

O mês de agosto em imagens

Na Irlanda, papa expressa "vergonha” por casos de abuso

Em seu primeiro dia de viagem à Irlanda, o papa Francisco reconheceu o fracasso da Igreja para enfrentar adequadamente o que chamou de "crimes repugnantes” de membros do clero local. Francisco também se reuniu com oito vítimas. Desde 2002, cerca de 14.500 pessoas se declararam vítimas de abusos sexuais cometidos por padres na Irlanda. Esta é a primeira viagem de um papa ao país em 39 anos.(25/08)

O mês de agosto em imagens

Incêndio florestal nos arredores de Berlim

Um incêndio florestal levou à evacuação de três vilarejos próximos a Berlim, após as chamas cobrirem uma área equivalente a 400 campos de futebol. Mais de 500 pessoas tiveram de deixar suas casas em razão do rápido avanço do fogo. A polícia disse que os esforços foram prejudicados pelo fato de antigas munições da 2ª Guerra Mundial estarem enterradas na floresta. Nenhuma casa foi atingida. (24/08)

O mês de agosto em imagens

EUA x China: disputa comercial se acirra

Os EUA impuseram tarifas de 25% sobre o equivalente a US$ 16 bilhões em importações chinesas, acirrando a disputa comercial entre os dois países. A segunda rodada de medidas punitivas por parte de Washington fez com que Pequim respondesse novamente na mesma moeda: o país vai sobretaxar importações americanas de itens que vão desde o petróleo bruto a produtos de aço e tecnologia médica. (23/08)

O mês de agosto em imagens

Ex-advogado de Trump admite crime eleitoral

Michael Cohen, ex-advogado pessoal do presidente Donald Trump, confessou ser culpado em oito acusações, como a de ter comprado o silêncio de duas mulheres, a pedido do então candidato à presidência, "com a intenção de influenciar as eleições" de 2016. A declaração implica que Trump pode estar envolvido em crime eleitoral. Cohen teria ainda informações sobre a ingerência russa nas eleições. (22/08)

O mês de agosto em imagens

Extradição de ex-guarda de campo de concentração

As autoridades americanas deportaram o ex-guarda de campo de concentração Jakiv Palij, de 95 anos, último criminoso de guerra nazista investigado nos EUA. Ele conseguiu entrar em território americano mentindo às autoridades e viveu por mais de quatro décadas em Nova York até ser descoberto. Palij desembarcou num aeroporto de Düsseldorf, de onde foi levado para um asilo de idosos. (21/08)

O mês de agosto em imagens

Peregrinação a Meca

Mais de 2 milhões de peregrinos se dirigiram ao monte Arafat, ao leste da Meca, na Arábia Saudita, para participarem do ritual considerado como o momento culminante do "hajj", a peregrinação à cidade sagrada que é considerado um dos cinco pilares do Islã. (20/08)

O mês de agosto em imagens

Governo afegão oferece cessar-fogo ao Talibã

O presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, anunciou um cessar-fogo de três meses com os talibãs a partir do dia 20 de agosto com a condição de que o grupo terrorista faça o mesmo. A medida valerá até 20 de novembro, se for aceita. O governo americano isse que está pronto para apoiar e facilitar as negociações diretas de paz entre o governo afegão e o Talibã. (19/08)

O mês de agosto em imagens

Merkel e Putin se reúnem na Alemanha

A chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, se encontraram pela segunda nos últimos três meses. A pauta do encontro: os conflitos na Síria e na Ucrânia e a expansão do controverso gasoduto Nord Stream 2. O encontro entre os dois líderes ocorreu no Palácio de Meseberg, a 60 quilômetros de Berlim. (18/08)

O mês de agosto em imagens

Inundações e mortes na Índia

As inundações no estado indiano de Kerala, as piores nos últimos 100 anos, causaram a morte de pelo menos 324 pessoas em três meses e obrigaram dezenas de milhares de pessoas a se transferirem a acampamentos de socorro, segundo um balanço divulgado pelas autoridades. As chuvas começaram a devastar o estado no fim de maio com o início da temporada de monções. (17/08)

O mês de agosto em imagens

Morre Aretha Franklin, "rainha do soul"

Morreu, aos 76 anos, a cantora Aretha Franklin, considerada a "rainha do soul" e um dos maiores nomes da música americana de todos os tempos. A artista lutava contra um câncer no pâncreas, e passou seus últimos momentos em sua casa em Detroit. Premiada com 18 Grammys e 25 discos de ouro ao longo da carreira, Aretha Franklin foi a primeira mulher a entrar para o Hall da Fama do Rock. (16/08)

O mês de agosto em imagens

Alemanha abre caminho para terceiro gênero

O governo alemão aprovou um projeto de lei para introduzir um terceiro gênero no registro de nascimento, levando em consideração pessoas cujo sexo não está definido no momento em que nascem, os chamados intersexuais. A proposta segue determinação do Tribunal Constitucional.O porta-voz do governo, Steffen Seibert, indicou que se espera que o projeto de lei entre em vigor no início de 2019. (15/08)

O mês de agosto em imagens

Viaduto desaba na Itália

Um trecho de um viaduto localizado em Gênova, no norte da Itália, desabou deixando dezenas de mortos e vários feridos. Ao menos 26 pessoas morreram. O desastre ocorreu durante fortes chuvas. A suspeita é de que um problema estrutural tenha provocado o desabamento. Uma testemunha que viu vários carros caindo junto com a ponte descreveu o incidente como uma "cena apocalíptica". (14/08)

O mês de agosto em imagens

A lira turca derrete

A Turquia anunciou medidas para conter a forte desvalorização de sua moeda, incluindo a injeção de seis bilhões de dólares no sistema financeiro do país. O impacto do anúncio, no entanto, foi anulado quando o presidente Recep Tayyip Erdogan lançou vários ataques verbais ao governo dos EUA, provocando uma nova desvalorização da lira turca. A moeda já perdeu 40% do valor em 2018. (13/08)

O mês de agosto em imagens

Americanos a caminho do Sol

Um foguete decolou às 3h31 da base de Cabo Canaveral, na Flórida, portando a sonda Parker Solar Probe com o objetivo de chegar mais perto do que nunca do Sol. A nave não tripulada rumará direto para a coroa solar, a camada mais externa da estrela. A missão, classificada pela Nasa como a primeira a "tocar o Sol", visa esclarecer mistérios do astro-rei. (12/08)

O mês de agosto em imagens

Derrota histórica para Monsanto

Um júri da Califórnia condenou a companhia Monsanto a pagar US$ 289 milhões em indenizações a Dewayne Johnson, de 46 anos, que contraiu câncer devido à exposição ao herbicida Roundup, da empresa. Segundo a mídia americana, esta deverá ser a primeira de centenas de ações que a Monsanto terá que enfrentar na Justiça pelos efeitos cancerígenos do glifosato. (11/08)

O mês de agosto em imagens

Greve na Ryanair

A empresa aérea irlandesa Ryanair cancelou cerca de 400 dos seus 2.400 voos em toda Europa devido às greves convocadas por seus pilotos na Alemanha, na Irlanda, na Bélgica, na Suécia e na Holanda. Trata-se do primeiro protesto conjunto dos pilotos na história da companhia, que reivindicam avanços nas negociações que mantêm desde o começo deste ano sobre salários e condições trabalhistas. (10/08)

O mês de agosto em imagens

Senado da Argentina rejeita legalizar o aborto

Depois de um debate de cerca de 16 horas, o Senado da Argentina rejeitou um projeto de lei para legalizar o aborto – tema que provocou fortes divisões entre políticos e na sociedade do país. Em Buenos Aires, milhares de pessoas se concentraram para protestar a favor – com a cor verde como bandeira – e contra a legalização do aborto – de azul. Ativistas lamentaram o resultado da votação. (09/08)

O mês de agosto em imagens

Esposa de Assad diagnosticada com câncer de mama

A esposa de Bashar al-Assad, Asma al-Assad, foi diagnosticada com câncer de mama e iniciou tratamento contra a doença num hospital militar de Damasco, disse a presidência da Síria. Anúncios como esse são incomuns no mundo árabe, onde o câncer é considerado um tabu. Além da mensagem, uma foto de Asma, de 42 anos, com o marido durante o tratamento foi publicada nas redes sociais. (08/08)

O mês de agosto em imagens

Pior incêndio florestal da história da Califórnia

O incêndio florestal que começou há dez dias na região de Mendocino se transformou no pior da história da Califórnia após ter arrasado 117.639 hectares de terra, uma área equivalente ao tamanho de Los Angeles e superior aos 113.800 hectares que foram devastados nos condados de Ventura e Santa Barbara pelo incêndio Thomas, em 2017. (07/08)

O mês de agosto em imagens

Trump reimpõe sanções ao Irã

O presidente dos EUA assinou um decreto reimpondo várias sanções ao Irã, três meses depois de se retirar do acordo nuclear fechado com a nação em 2015. Trump destacou que sua estratégia é elevar ao máximo a pressão econômica sobre o país e ressaltou estar aberto a um acordo mais amplo com o Irã. O presidente iraniano, Hassan Rohani, refutou, porém, a oferta de novas conversações. (06/08)

O mês de agosto em imagens

Queda de avião da 2ª Guerra deixa mortos

Autoridades da Suíça confirmaram que um antigo avião da época da 2ª Guerra Mundial caiu nos Alpes, provocando a morte de todas as pessoas a bordo, sendo três tripulantes e 17 passageiros. O avião, um trimotor Junkers Ju-52 fabricado em 1939, era de propriedade da empresa suíça Ju-Air, que oferece passeios turísticos a bordo dessas antigas aeronaves de fabricação alemã. (05/08)

O mês de agosto em imagens

Atentado em Caracas?

Uma explosão interrompeu uma cerimônia militar comandada por Nicolás Maduro em Caracas, no que o governo classificou como uma tentativa de atentado usando drones contra o presidente venezuelano. Maduro culpou a Colômbia. Não há imagens dos supostos drones. (04/05)

O mês de agosto em imagens

Lucro da Petrobras

A Petrobras anunciou que registrou lucro líquido de 10,072 bilhões de reais no segundo trimestre deste ano. O resultado está bem acima do mesmo período do ano passado, quando a estatal teve lucro de 316 milhões de reais. Esse é o melhor resultado para o período desde o segundo trimestre de 2011. (03/08)

O mês de agosto em imagens

Marcha do Orgulho LGBT em Jerusalém

A Marcha do Orgulho LGBT reuniu milhares de pessoas em Jerusalém. A passeata começou com duas horas de atraso e cercada de um forte dispositivo de segurança, depois dos distúrbios entre um grupo de extrema-direita anti-gay e a polícia. Este ano, o evento colocou o foco na luta da comunidade LGBT para poder gerar filhos com barriga de aluguel. (02/08)

O mês de agosto em imagens

Proibição de véu islâmico na Dinamarca

A proibição do uso de véus integrais islâmicos entrou em vigor na Dinamarca. Aprovada em 31 de maio, a lei proíbe o uso de burca e niqab em espaços públicos, à semelhança do que já aconteceu em outros países europeus, como Áustria, França e Bélgica. Infratores poderão ser punidos. Protestos contra a medida ocorreram em cidades como Copenhague (foto) e Aarhus. (01/08)

Siga-nos