Orbán defende bloco anti-imigração na União Europeia

Após visita do vice-primeiro-ministro italiano à Polônia, líder da Hungria prevê ampliação de uma coalizão de direita dentro da Europa como contraponto ao "eixo franco-alemão".

O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, ofereceu nesta quinta-feira (10/01) apoio integral à iniciativa ítalo-polonesa de formar uma aliança de direita para as eleições para o Parlamento Europeu marcadas para maio.

A meta de seu país seria obter no órgão legislativo uma maioria anti-imigração, que ele espera que se estenda à Comissão Europeia e mais tarde, com as eleições nacionais, mude o panorama político da União Europeia (UE).

Durante visita a Varsóvia na quarta-feira, o ministro do Interior e vice-primeiro-ministro da Itália, Matteo Salvini, afirmou que seu país e a Polônia uniriam forças numa aliança eurocética, e expressou esperanças de que um "eixo ítalo-polonês" venha a substituir o atual "eixo franco-alemão".

Segundo Orbán, a "aliança Varsóvia-Roma" seria "um dos maiores desdobramentos com que este ano poderia ter começado". Ele classificou Salvini de "herói" por deter a migração na costa italiana. O populista de direita criticou ainda o presidente da França, Emmanuel Macron, descrevendo-o como líder das políticas pró-imigração da Europa.

"Não é nada pessoal, mas uma questão do futuro de nossos países. Se o que [Macron] quer em relação à migração se materializar na Europa, isso seria mau para a Hungria, por isso tenho que lutar contra ele."

Orbán acrescentou que não vê qualquer chance de um consenso com a Alemanha, cujos políticos e imprensa supostamente o pressionariam demais para que admita migrantes. Ele previu que haverá duas civilizações no continente: uma "que constrói seu futuro sobre uma coexistência mista islâmica e cristã" e outra, na Europa Central, que será apenas cristã.

O populista de direita foi eleito para um terceiro mandato em abril, após uma campanha centrada em políticas anti-imigração e à medida que os eleitores europeus aceitam cada vez mais as agendas populistas.

Embora Salvini tenha afirmado, na quarta-feira, que ele e o líder do partido nacional-conservador polonês Lei e Justiça (PiS), Jaroslaw Kaczynski, concordam na maioria dos temas, políticos de alto escalão da Polônia expressaram reservas quanto a formar uma aliança com o radical de direita italiano, considerado próximo demais da Rússia. O PiS é atualmente o partido com mais representantes no Parlamento polonês.

O ex-ministro do Exterior e deputado Witold Waszczykowski afirmou que "os únicos acertos feitos se referem a encontros e consultações futuros, mas não há arranjos para um acordo, uma criação antecipada de alianças ou clubes conjuntos no Parlamento Europeu".

Michal Szuldrzynski, comentarista do jornal Rzeczpospolita, afirmou acreditar que durante a visita Salvini escutou mais sobre o que separa seu partido Liga do PiS do que sobre o que os une, e concluiu: "Kaczynski mostrou que não quer ser parte de uma aliança eurocética sob o patronato do Kremlin."

Assuntos relacionados

AV/ap/rtr/dw

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Política

Explosão no México deixa 66 mortos

O número de mortos após a explosão de um oleoduto da empresa estatal Pemex no estado de Hidalgo, na região central do México, subiu de 21 para 66 nas últimas horas. A tragédia aconteceu durante uma tentativa de roubo de combustível. A explosão aconteceu duas horas depois de um vazamento no oleoduto ter sido detectado. (19/01)

Política

Bolsonaro condecora premiê de Israel

O presidente Jair Bolsonaro concedeu a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul ao primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. A honraria é a mais alta condecoração brasileira atribuída a cidadãos estrangeiros. A grã-cruz foi entregue a Netanyahu no Rio, durante sua ida ao Brasil em dezembro, mas o decreto presidencial com a concessão foi publicado somente em janeiro no Diário Oficial. (18/01)

Política

STF suspende investigação de Queiroz

O ministro Luiz Fux, do STF, concedeu uma liminar suspendendo o inquérito contra Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (foto) e investigado por movimentações financeiras suspeitas. A decisão provisória responde a um pedido feito pelo filho de Jair Bolsonaro. Cabe ao relator do caso, Marco Aurélio, tomar uma decisão final sobre o pedido quando voltar do recesso. (17/01)

Política

Bolsonaro recebe Macri em Brasília

Jair Bolsonaro e o presidente argentino, Mauricio Macri, se encontraram em Brasília, em meio a um consenso em relação à Venezuela e à expectativa de união entre as duas potências latino-americanas em outros temas. A "ditadura de Nicolás Maduro", conforme tacharam, e o fortalecimento do Mercosul foram alguns dos temas tratados na primeira visita de um chefe de Estado do governo Bolsonaro. (16/01)

Política

Bolsonaro flexibiliza posse de armas

O presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto que facilita a posse de armas, uma de suas principais promessas de campanha. Em cerimônia no Palácio do Planalto, ele classificou a medida de "um legítimo direito à defesa" concedido aos cidadãos. O texto se refere exclusivamente à posse de armas, em casa ou no trabalho, e não ao porte, e amplia a validade do registro de cinco para dez anos. (15/01)

Política

Prefeito polonês é assassinado a facadas

O prefeito da cidade polonesa de Gdansk, Pawel Adamowicz, morreu um dia depois de ter sido esfaqueado diante de uma multidão durante um evento beneficente que procurava levantar doações para hospitais. Os golpes atingiram seu coração e abdômen. O ataque ocorreu quando o prefeito estava no palco. O agressor, de 27 anos, disse que queria se vingar por ter sido preso. (14/01)

Política

Termina refúgio de Battisti na América do Sul

O ex-membro de guerrilha de esquerda condenado por assassinatos na Itália, foi detido na Bolívia e será extraditado, após 38 anos foragido. Ele desaparecera do Brasil desde 14 de dezembro, após o Supremo Tribunal Federal (STF) ordenar sua detenção. Contrariando afirmações do gabinete de Segurança Institucional (GSI), Cesare Battisti sai da Bolívia em voo direto. (13/01)

Política

"Coletes amarelos" em 9º fim de semana

Polícia de Paris empregou gás lacrimogêneo e canhões d'água durante confrontações com os manifestantes nas proximidades do Arco do Triunfo. ministro do Interior advertiu ativistas pacíficos que eles se tornam cúmplices ao participar de passeatas violentas. Está em planejamento cadastro dos agitadores semelhante ao mantido para controle de hooligans do futebol. (12/01)

Política

Nevascas castigam Europa

As maiores nevascas em 20 anos na Europa Central, que já duram vários dias, causaram transtornos em países como Alemanha, Áustria e República Tcheca. No sul do estado alemão da Baviera, centenas de motoristas na região de Rosenheim, entre Bernau am Chiemsee e Frasdorf, tiveram de passar a noite em caminhões e automóveis após uma rodovia ficar bloqueada pela neve. (11/01)

Política

Maduro toma posse na Venezuela

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, tomou posse em Caracas, para um segundo período de seis anos na presidência depois de vencer as polêmicas eleições de maio passado. A legitimidade do segundo mandato de Maduro foi questionada pela oposição venezuelana e por vários governos estrangeiros que não reconhecem os resultados do pleito. (10/01)

Política

João de Deus vira réu

A juíza Rosângela Rodrigues dos Santos, de Abadiânia, aceitou a denúncia contra o médium João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, acusado de estupro de vulnerável e violação sexual. Feita pelo Ministério Público, a denúncia diz respeito a crimes praticados em 2018, entre os meses de abril e outubro. Ele é acusado por centenas de mulheres por abusos cometidos entre 1975 e 2018. (09/01)

Política

Drone causa transtornos em Heathrow

O maior aeroporto da Europa, Heathrow, em Londres, suspendeu todas as decolagens por cerca de uma hora após um drone ser visto nos arredores de suas pistas. A suspensão foi uma medida de precaução e ocorre quase três semanas após um incidente semelhante no aeroporto britânico de Gatwick. (08/01)

Política

Expansão territorial na Dinamarca

O governo da Dinamarca anunciou que planeja construir nove ilhas artificiais para expandir o distrito industrial de Copenhague e atrair investimentos. A construção das ilhas está prevista para começar em 2022 e terminar em 2040. A expansão aumentará em 3 milhões de metros quadrados o território da capital do país. A proposta precisa ser aprovada pelo Parlamento. (07/01)

Política

Cristãos ortodoxos celebram o Natal

O dia 7 de janeiro marca o nascimento de Jesus Cristo no calendário juliano, por isso os cerca de 260 milhões de cristãos ortodoxos no mundo celebram o Natal nessa data. A Rússia é o país com população mais predominantemente ortodoxa, seguida da Ucrânia. Na véspera do Natal, o presidente russo, Vladimir Putin (foto), visitou um hospital infantil em São Petersburgo para comemorar a data. (06/01)

Política

Parlamento da Venezuela declara ilegítimo novo mandato de Maduro

A Assembleia Nacional da Venezuela, controlada pela oposição, declarou ilegítimo o novo mandato de Nicolás Maduro. "A partir de 10 de janeiro, ele estará usurpando a presidência, e esta Assembleia Nacional será a única representante legítima do povo", disse o novo presidente do parlamento venezuelano, Juan Guaidó (foto), ao tomar posse no cargo durante a primeira sessão parlamentar do ano. (05/01)

Política

Centenas de políticos alemães têm dados vazados

Centenas de políticos alemães, incluindo a chanceler federal Angela Merkel e o presidente Frank-Walter Steinmeier, tiveram seus dados roubados e divulgados online, através do Twitter, segundo revelou a imprensa local. O vazamento, embora não tenha levado à revelação de informação sensível, atingiu todas as legendas representadas no Parlamento, exceto a populista de direita AfD. (04/01)

Política

Democratas retomam controle da Câmara

A democrata Nancy Pelosi foi eleita presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, cargo que já ocupou entre 2007 e 2011, depois que seu partido recuperou o controle dessa Casa nos pleitos legislativos de novembro do ano passado. A veterana representante da Califórnia, de 78 anos, somou 220 votos, superando o candidato republicano, Kevin McCarthy, que recebeu 192. (03/01)

Política

Líderes estrangeiros em Brasília

O presidente Jair Bolsonaro participou de quatro encontros com líderes internacionais em seu primeiro dia no cargo: o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, o presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, o premiê húngaro, Viktor Orbán, e o vice-presidente do Parlamento chinês, Ji Bingxuan. Pompeo se encontrou ainda com o novo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo (foto). (02/01)

Política

Bolsonaro toma posse

Jair Bolsonaro tomou posse, em Brasília, como o 38° presidente da República. Após receber a faixa presidencial de Michel Temer, o novo presidente afirmou que sua posse marca o dia em que o povo brasileiro “começou a se libertar do socialismo, se libertar da inversão de valores, do gigantismo estatal e do politicamente correto”. (01/01).

Conteúdo relacionado