A máfia dos carrinhos de bebê

Nos últimos dois anos, mais de 1,5 mil carrinhos de bebê foram roubados de prédios em Berlim. Ladrões visam modelos mais caros para revendê-los na internet. De todos os furtos, a polícia elucidou apenas 69.

A primeira vez que ouvi falar sobre furto de carrinhos de bebê em Berlim foi quando um amigo contou que havia comprado uma corrente para prender o carrinho de seu filho, pois alguns haviam sido roubados do hall de entrada de seu prédio. Foi também quando descobri que esses objetos infantis podem custar pequenas fortunas aqui na Alemanha. Há modelos cujo valor de venda ultrapassa facilmente os mil euros.

Sociedade | 19.11.2018

Diante de valores exorbitantes, a procura por carrinhos de segunda mão em bom estado em sites de comércio eletrônico, como o eBay, é grande. Essa demanda contribui para impulsionar o roubo desses objetos.

Para a chamada máfia dos carrinhos de bebê, o furto costuma ser tão fácil quanto roubar pirulito de criança. Sem elevadores e com pouco espaço nos apartamentos, os carrinhos, usados praticamente todos os dias, costumam ser deixados nos halls de entrada dos prédios. Assim, qualquer um que consegue entrar no edifício pode levar os carrinhos, principalmente à noite, quando a movimentação urbana diminui drasticamente e fica mais fácil agir à surdina.

Em Berlim, nos últimos dois anos, mais de 1,5 mil carrinhos foram roubados. A polícia estima que o número deva ser bem maior, pois em muitos casos o furto não é informado às autoridades.

As marcas mais caras são os principais alvos dos ladrões. Os primeiros furtos sistemáticos desses objetos foram registrados em 2007, em Prenzlauer Berg, um bairro com muitas crianças e onde vivem famílias de classe média e alta. Atualmente, a máfia de carrinhos de bebê atua principalmente nos bairros Tempelhof, Schöneberg, Moabit, Prenzlauer Berg e Charlottenburg.

O furto de carrinhos parece ser um crime que compensa: a polícia conseguiu identificar os culpados em apenas 69 casos dos mais de 1,5 mil registrados. Em algumas situações faltam provas para confirmar que o objeto vendido na internet foi mesmo roubado.

Para evitar o furto, a polícia recomenda guardar o carrinho em locais fechados e usar cadeados. Além disso, quem compra usado pela internet deve exigir a nota fiscal original do produto. Só assim é possível garantir que não se está adquirindo um produto roubado.

Clarissa Neher trabalha como jornalista freelancer para a DW Brasil e mora desde 2008 na capital alemã. Na coluna Checkpoint Berlim, publicada às segundas-feiras, escreve sobre a cidade que já não é mais tão pobre, mas continua sexy.

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Playmobil: uma história de sucesso

Sucesso com bonecos de plástico

Horst Brandstätter começou a trabalhar na Geobra Brandstätter em 1952, aos 19 anos. Aos poucos, assumiu o comando da empresa, tornando-se seu único proprietário. Em 1974, lançou seu maior sucesso: os bonecos de plástico Playmobil. Até hoje já foram vendidos mais de 2,8 bilhões de peças no mundo inteiro.

Playmobil: uma história de sucesso

Faturamento milionário

A empresa com sede em Zirndorf, no sul da Alemanha, é uma das maiores fabricantes de brinquedos do país e emprega mais de 4 mil funcionários no mundo inteiro. Em 2014, seu faturamento chegou a 595 milhões de euros.

Playmobil: uma história de sucesso

Empresa global

As vendas no exterior correspondem a cerca de 70% do faturamento da Geobra Brandstätter. Há centros de distribuição da Playmobil nos Estados Unidos, Canadá e México. A maior unidade de produção dos bonecos de plástico se localiza na cidade de Dietenhofen, na Baviera. Há outras fábricas em Malta, República Tcheca e Espanha.

Playmobil: uma história de sucesso

Cavaleiro, índio, operário

Em 1974 foram lançados no mercado os primeiros bonecos Playmobil: cavaleiro, índio e operário de construção civil. O inventor foi Hans Beck, que faleceu em 2009. Junto com Brandstätter, ele desenvolveu a ideia de um novo sistema de brinquedos e criou a marca.

Playmobil: uma história de sucesso

Antepassados do Playmobil

Miniaturas já existiam antes do Playmobil. No entanto, eram fabricadas com outros materiais, como os soldadinhos de chumbo. Já em 1550, conferia-se grande valor a essas peças na vida social, na qualidade de "brinquedos educativos.

Playmobil: uma história de sucesso

Concorrência da Lego

Em 1978, poucos anos após a invenção do Playmobil, a fabricante de brinquedos Lego, da Dinamarca, lança seus primeiros bonecos no mercado. Eles têm cerca de 42 milímetros e possuem braços e cabeça móveis.

Playmobil: uma história de sucesso

Sociedade colorida

No início, os bonecos Playmobil eram simples e monocromáticos. Havia apenas um penteado nas cores de cabelo preto, castanho e loiro. Com o passar dos anos, os bonecos foram modernizados e ganharam movimento nos pulsos, além de acessórios coloridos.

Playmobil: uma história de sucesso

Evolução das profissões

Novos mundos temáticos são lançados anualmente. A gama de profissões dos bonecos Playmobil também evolui constantemente, indo de operários de construção civil até enfermeiros, passando por policiais.

Playmobil: uma história de sucesso

Mais curvas

Nos primeiros anos, as bonecas Playmobil se distinguiam apenas por características superficiais, como vestidos ou cabeleira comprida. Somente no fim da década de 80 elas ganharam curvas. Saias longas e terninhos também se tornaram mais populares

Assuntos relacionados